terça-feira, 10 de dezembro de 2013

PORTEL ACIONARÁ OS PODERES DO ESTADO PARA TER PROMOTOR DE JUSTIÇA

O advogado Ismael Novaes foi contratado para acionar a justiça.
Há anos sem Promotor de Justiça efetivo e passando por graves problemas sociais, muitos ocasionados por influência das obras de Belo Monte, o prefeito Vicente Paulo Ferreira, do Município de Portel, requisitou providências do advogado Ismael Moraes, desde administrativas até judiciais, contra essa situação de calamidade.
Após receber a informação do gabinete do Procurador-Geral de Justiça de que lá será efetivado Promotor só após o próximo concurso público (ou seja, dentro de 1 ano ou mais), o advogado já comunicou ao Prefeito ter iniciado estudos para a formulação de mandado de segurança a ser impetrado em janeiro de 2014 contra as autoridades do Estado responsáveis pela situação: o próprio Procurador-Geral de Justiça, o presidente da Assembléia Legislativa e o governador do Estado.
“Se a questão é orçamentária, eles assumam a responsabilidade na medida de cada qual, porque a Lei de Responsabilidade Fiscal não se impõe à Constituição Federal; e se ela pode ser descumprida por motivos nada nobres, ela poderia sê-lo por uma causa justa e para atender preceito constitucional; e se está havendo repasse correto ao Ministério Público, que o Procurador-Geral responda sozinho”, declarou Dr. Ismael Moraes.
“Sem Promotor, a Justiça não funciona, porque todos os processos em que desassistidos são partes e os processos criminais exigem a participação desse agente público. Também sem Promotor, a Polícia ou fica sobrecarregada ou torna-se quase inútil, e os maus policiais fazem ou deixam de fazer o que querem. E quase tudo recai sobre a responsabilidade do Prefeito, que precisa gerir a saúde, a educação, os serviços urbanos e rurais”, diz Ismael Moraes.

 Fonte: RG 15/O Impacto

Um comentário:

  1. Não somente promotor como também defensor publico que me parece ter dois em portel e não comparecem para os jures que são marcados deixando assim o nosso Juiz de mãos atadas e o estado gastando com transportes de presos da capital para o interior.FATO

    ResponderExcluir