terça-feira, 13 de novembro de 2018

PORTEL: ATUAL PRESIDENTE DA CÂMARA DISPUTARÁ A PREFEITURA EM 2020

Moisés Moreira - Presidente da CMP
O vereador Moisés Moreira, do PSC, que até o próximo dia 31/12 é o presidente da Câmara Municipal de Portel, se colocará à disposição do seu partido para concorrer à Prefeitura de Portel em 2020.
Empenhado na campanha para a eleição que aconteceu em outubro, o vereador realizou diversas reuniões em comunidades da sede e do interior do município, e nelas, por diversas vezes, foi intimado pelos comunitários a concorrer em 2020 para o cargo majoritário em Portel. De acordo com informações obtidas pelo blog, Moisés Moreira também tem recebido bastante apoio de amigos e lideranças politicas locais e regionais.
Com mais de 20 anos de experiência no legislativo, chegou a hora do vereador se submeter a este desafio de governar uma das cidades com os piores índices sociais da região, mas com um potencial turístico, riquezas naturais e um povo muito trabalhador e ordeiro.



segunda-feira, 12 de novembro de 2018

BAGRE: JUSTIÇA CONDENA EMPRESA E AFASTA DAS FUNÇÕES SECRETÁRIOS DA EDUCAÇÃO E CULTURA

Uma ação civil por ato de Improbidade Administrativa ajuizada pelo Ministério Público do Pará (MPPA), por meio da Promotoria de Justiça de Bagre, no último dia 10 de outubro, afastou do cargo o secretário de Educação e ex-vereador do município, Edvan Lourinho Pessoa; o secretário de Cultura, Manoel Vicente Neto, ao mesmo tempo em que condenou o ex-prefeito de Bagre Cledson Farias Lobato Rodriges, e os empresários Danielle Silva Moraes e Antônio Jorge Câmara Filho, representantes da empresa DAS Moraes Eireli ME, que tem o nome fantasia “JB Moraes Construções”, a restituir os prejuízos causados ao erário público decorrentes de uma licitação fraudulenta (Contrato n. 20130193), para a construção da “Escola do Futuro”, no município.
 A decisão foi do juiz da comarca de Bagre, Enguellys Torres de Lucena, que no último dia 09 acatou o pedido feito pelo promotor de Justiça do MPPA, David Terceiro Nunes Pinheiro na ACP por improbidade administrativa com pedido de liminar, e proferiu decisão interlocutória no processo. Os cinco réus são acusados de fraudar o processo licitatório para a construção da Escola Bom Futuro, no valor de R$ 39.205,00 (trinta e nove mil, e duzentos e cinco reais).
 A empresa vencedora do processo licitatório na modalidade carta-convite teria sido a empresa, DAS Moraes Eirelli ME, conforme o Termo de Homologação e Adjudicação apresentados nos autos. Entretanto, para a surpresa de todos, em meados de 2016, chegou à Promotoria de Bagre a denúncia de que a construção da escola foi feita pelos próprios moradores da comunidade local, a mando e com a ajuda do então vereador e atual secretário de Cultura de Bagre, Manoel Vicente Neto, que teria entregue aos trabalhadores da comunidade de Monte Sião a quantia de R$ 25 mil, para que eles efetuassem a construção e entrega da “Escola Bom Futuro”, cuja responsável pela edificação da obra era, na verdade, a empresa DAS Moraes Eireli ME., vencedora do certame.
 Ainda segundo os autos da ação, Vicente teria entregado o valor aproximado de R$ 25 mil para os próprios moradores locais construírem e fornecerem os materiais que seriam usados na edificação do prédio escolar, além de ser também o responsável por pagar diretamente pela madeira extraída da própria comunidade, e que foi utilizada na construção da “Escola Bom Futuro”.
 Segundo consta nos autos, o contrato (nº. 20130193) celebrado entre a municipalidade e a “JB Moraes Construções” foi elaborado e devidamente assinado pelo representante legal da empresa, Antônio Jorge Câmara de Moraes, em 18 de novembro de 2013.
 O prazo de execução contratual da obra da escola teria sido estimado em 90 (noventa) dias. Porém, após a assinatura, foram realizados pelo menos três aditivos ao contrato inicial, prorrogando o prazo de vigência do negócio até a data final de 29 de fevereiro de 2016, sendo que a obra foi finalizada apenas em março de 2016. Isto é, somente dois anos após ao acordo pré-estabelecido.
No pedido, o MPPA também solicitou, e o juiz acatou, com base no artigo 12, I, Lei 8.429/93, a indisponibilidade dos bens de Danielle Silva Moraes, Antônio Jorge Câmara Filho e da empresa DAS Moraes Eireli ME, para garantir a restituição dos prejuízos causados ao erário público decorrentes da licitação fraudulenta (Contrato n. 20130193), no valor de R$291.765,88, a fim de que seja garantido tanto o ressarcimento gerado por acréscimo patrimonial indevido, que soma R$ 72.941,47, assim como para garantir o valor de uma possível multa civil aplicada, cujo montante pode alcançar a quantia de R$ 218.824,41, e que corresponde ao triplo do acréscimo patrimonial presente no procedimento que motivou o ajuizamento da ação.
 A Justiça também aceitou o pedido liminar do MPPA visando a indisponibilidade de bens dos acusados, assim como do afastamento do exercício de qualquer cargo, emprego ou função pública dos secretários de cultura, Manoel Vicente de Moraes Neto, do secretário de educação, Edivan Loureiro Pessoa, e de Cledson Farias Lobato Rodrigues, ex-prefeito municipal de Bagre.
 Chamado para depor, o ex-vereador Manoel Vicente de Moraes Neto compareceu na Promotoria de Justiça de Bagre, em 19 de maio de 2016, e confirmou que a obra foi realizada em parceria com a comunidade. Ademais, informou que a gestão municipal disponibilizou para a execução da obra aproximadamente R$ 50 mil reais, afirmando ainda “desconhecer a ocorrência de procedimento licitatório para a construção da escola”, ressaltando que a própria comunidade teria realizado a edificação sem a participação de intermediários, terceiros ou da Empresa DAS Moraes Eireli ME, vencedora do concurso para a construção da unidade escolar.
 O ex-vereador informou também que o Município resolveu – próximo ao instante da conclusão da obra-, “apenas instalar um posto de Saúde improvisado”, no mesmo prédio da Escola Bom Futuro.
Indagada acerca dos fatos, a Prefeitura Municipal de Bagre enviou o ofício n. 20/2016 –GAB/Prefeitura, através do Prefeito Municipal Cledson Farias Rodrigues, afirmando que a reforma e ampliação do prédio “Escola Bom Futuro” teria sido subsidiada mediante Procedimento Licitatório – modalidade “Convite” (Proc. Licitatório n. 1/2013 – 081104), e explicitando que “quem executou e recebeu valores por isso foi a licitante contratada”, qual seja a Empresa DAS Moraes Eireli ME.
A prefeitura também afirmou que Edivan Loureiro Pessoa era o responsável pela fiscalização do contrato celebrado entre a Municipalidade e a DAS Moraes Eireli ME. Notificado para comparecer à Promotoria, Edivan informou que de fato a obra foi objeto de licitação por parte da prefeitura municipal, mas que, em verdade, a execução da construção foi realizada por pessoas da própria comunidade Monte Sião, confirmando que a empresa DAS Moraes Eireli ME, apesar de ter sido sagrada como a vencedora do certame, não trabalhou nas obras de construção da escola.
 Edivan acrescentou ainda que tinha conhecimento de que a empresa vencedora do certame pertenceria a “Jorginho” (Antonio Jorge Câmara de Moraes Filho), o qual seria sobrinho do então vereador Manoel Vicente de Moraes Neto, mas quem teria executado a obra teriam sido as pessoas da comunidade, apenas. Ele ainda informou que, por diversas vezes, visitou o local da obra e que nunca encontrou qualquer representante da empresa no local.

Fonte: MPPA

SSBV: MP AJUÍZA AÇÃO PARA GARANTIR DIREITO À EDUCAÇÃO ÀS CRIANÇAS COM DEFICIENTES


O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) por meio da promotora de Justiça, Patrícia Carvalho Medrado Assmann, que atua na proteção dos interesses da criança e adolescente, e na garantia à educação aos estudantes com deficiência, ingressou no último dia (7), com Ação Civil Pública (ACP) em face do Município de São Sebastião da Boa Vista, a fim de que a Prefeitura seja impulsionada a cumprir com sua obrigação constitucional de oferecer atendimento educacional especializado aos portadores de deficiência na rede regular de ensino, bem como garantir a acessibilidade nas escolas para estes estudantes.
 A Ação Civil Pública tramita pela Vara Única da Comarca de São Sebastião da Boa Vista, e foi requerida pelo MPPA com tutela de urgência para que o município oferte, imediatamente, e de forma contínua, o auxílio de profissional de apoio a todos os estudantes da rede municipal diagnosticados com deficiência, bem como que o município apresente um plano de gestão que assegure a oferta dos aludidos profissionais de forma contínua.
Segundo a promotora de Justiça “o ingresso da Ação Civil foi inevitável, tendo em vista as notícias de fato que chegaram à Promotoria, dando conta das dificuldades enfrentadas por criança portadora de transtorno de espectro autista e criança portadora de paralisia cerebral triplégica para inclusão na rede municipal de ensino”, detalha.
 Dentre as medidas extrajudiciais anteriormente adotadas para a resolução do problema estão a instauração de dois Inquéritos Civis, no entanto, a medida adotada pela Prefeitura foi a instalação de salas multifuncionais no contra turno onde são realizados atendimentos e acompanhamentos aos alunos que possuem algum tipo de deficiência. Contudo, tal medida não é capaz de garantir a inclusão educacional adequada às crianças especiais, no período do ensino regular, com a presença de professores especializados nas salas de aulas.
 Além disso, as escolas do município não possuem a devida acessibilidade para os portadores de deficiência física, assim, as crianças não conseguem se deslocar para o pátio durante o recreio, acabando por não aproveitar o horário de lazer, ficando confinadas dentro das salas de aula, como é o caso de uma criança de seis anos, estudante da Escola Municipal Padre José de Anchieta e que utiliza cadeira de rodas para sua locomoção.
 Patrícia Assmann, enfatizou que a Lei de Diretrizes e Bases da Educação prevê que a educação especial para educandos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação "deve ocorrer na rede regular de ensino, e o Poder Público Municipal deve garantir que as escolas facilitem a inclusão de pessoa com deficiência, o que lamentavelmente não vem ocorrendo no Município de São Sebastião da Boa Vista'.

Fonte: MPPA

domingo, 11 de novembro de 2018

BAGRE: MUNICÍPIO RECEBERÁ MOSQUITEIROS COM INSETICIDA PARA COMBATER A MALÁRIA


O Ministério da Saúde vai distribuir 55 mil mosquiteiros impregnados com inseticidas de longa duração como estratégia complementar ao combate à malária. A distribuição, será realizada este mês, vai beneficiar 66,9 mil pessoas de sete municípios considerados prioritários no enfrentamento da doença: Bagre, Oeiras do Pará, Anajás, Curralinho, Itaituba, Cametá e Portel.
 A ação é complementar “porque a principal estratégia é o diagnóstico e tratamento precoce, buscando evitar os óbitos e a gravidade da doença, assim como reduzir a carga de plasmódio circulante no território, visto que o único reservatório do agente que causa a malária é o ser humano”, explica Cássio Peterka, coordenador substituto dos Programas Nacionais de Controle e Prevenção da Malária e das Doenças Transmitidas pelo Aedes.
 Em 2011 e 2012, foram distribuídos mais de um milhão de mosquiteiros na região amazônica. Por ser uma estratégia efetiva para prevenção e controle da malária, o Ministério da Saúde a adotou com o objetivo de realizar aquisições e distribuição anual deste insumo.
 Além disso, foi publicada a Portaria 1.958, de 28 de junho, que autoriza o repasse de recursos financeiros do Fundo Nacional de Saúde aos fundos estaduais e municipais de Saúde, totalizando o montante de R$ 10,3 milhões, para custeio da intensificação das ações de controle da doença, aos estados e alguns municípios prioritários do Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia e Roraima.
Além do repasse de recursos extras e exclusivos para o combate à doença, o Ministério investe na ampliação do diagnóstico, garante o abastecimento dos estados em relação aos testes rápidos e prevê ampliação de mais 20% da rede diagnóstica de malária no Brasil para 2019. O Ministério da Saúde garante, ainda, o tratamento completo pelo SUS e envia insumos para as ações de controle vetorial (inseticidas).

Fonte: ROMA NEWS

BREVES: GRÁVIDA DE GÊMEOS É TRANSFERIDA DE AVIÃO PARA BELÉM


Uma mulher de 21 anos, grávida de gêmeos, precisou ser transferida com urgência do município de Breves na ilha do Marajó para Belém, na tarde deste sábado, 10, por um avião do Grupamento Aéreo de Segurança Pública.
 Com 36 semanas de gestação, ela entrou em trabalho de parto, porém por conta de complicações precisou de uma cesárea de urgência e teve que vir para Belém fazer a cirurgia. Chegando em Belém, a paciente foi encaminhada para a Santa Casa de Misericórdia, em uma ambulância do SAMU. De acordo com os médicos que a atenderam, ela passa bem.
 A assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública afirma que caso ela viesse de barco levaria 12h para chegar até a capital. Por meio do Graesp esse atendimento ganha mais agilidade, já que o transporte é feito, em média, dentro de 50 minutos de Breves para Belém.
 Ainda de acordo com a Segup, de janeiro a outubro deste ano o Graesp já fez 79 atendimentos aeromédicos, que resultaram em 79 vítimas ou pacientes removidos do interior do Estado para Belém e Hospitais Regionais.

Fonte: ROMA NEWS

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

TCM DIZ QUE PREFEITURA PODE DAR APOIO CULTURAL À RÁDIO COMUNITÁRIA


Ao apreciar voto da conselheira Mara Lúcia, o Plenário do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Pará (TCM-PA) decidiu que é possível a Prefeitura conceder apoio cultural às fundações e associações comunitárias sem fins lucrativos que exploram o serviço de radiodifusão comunitária no Município, desde que estejam devidamente instituídas conforme sua lei regulamentadora (Lei nº 9.612/98), bem como estejam prestando informações de interesse público à coletividade, como a instituição e execução de programas, serviços e campanhas da Administração que tenham caráter educativo e de orientação social.
 A decisão aprovada à unanimidade subscreveu o parecer da Diretoria Jurídica do TCM-PA (da lavra do diretor Jurídico Raphael Maués), o qual remete a precedente jurisprudencial de vários Tribunais de Contas Estaduais, como os do Mato Grosso, Rio de Janeiro, Minas Gerais e de São Paulo, bem como do Ministério Público Estadual do Paraná.
 O tema foi submetido ao TCM-PA a partir de consulta formulada pelo prefeito de Rio Maria, Francisco Paulo Barros Dias, quanto à possibilidade da Prefeitura conceder apoio cultural às fundações e associações comunitárias sem fins lucrativos que exploram o serviço de radiodifusão comunitária no Município.

 CONVÊNIO
 Em seu voto, a conselheira Mara Lúcia destaca que “o apoio cultural concedido à rádio comunitária, deve ser formalizado por meio de convênio ou instrumento congênere, em tudo observada à disciplina legal de regência, ao que importará no dever de prestar contas dos recursos recebidos à Administração Pública (poder concedente), visto que os documentos de formalização do apoio cultural devem ser enviados, seguidamente, à fiscalização deste Tribunal de Contas dos Municípios do Pará, conforme disciplinado em ato próprio”.
 A conselheira relatora observa que deve-se atentar que a legalidade do ajuste a ser firmado, dependerá da observância das regras dispostas nos artigos 16 e 17, da Lei n.º 4.320/64, com a correta especificação do objeto a ser executado, elaboração de plano de trabalho e com valor calculado com base nos serviços efetivamente prestados, em prol da coletividade.

 REGULAMENTO
 “Acrescento, ainda, que para estabelecimento do apoio cultural, por intermédio de parceria entre os envolvidos, é fundamental que o Poder Público Municipal observe as disposições consignadas junto à Lei Federal nº 13.019/2014, a qual traça detalhado regulamento, para o estabelecimento dos instrumentos legais, preteritamente conhecidos como convênio, agora designados como Termo de Parceria, Termo de Fomento e Cooperação, definidos nos termos dos incisos VII, VIII e VIII-A, do art. 2º, da aludida Lei”, informa a conselheira Mara Lúcia.
 Por fim, a relatora esclarece que “as rádios comunitárias estão impossibilitadas de concorrer em processos licitatórios com rádios comerciais, para o fim de prestar serviços de publicidade de programas institucionais da Administração Pública, tendo em vista a natureza destas e, em especial, por serem concebidas sem fins lucrativos, políticos e/ou comerciais, em tudo observado e preservado quanto às exigências positivadas junto à Lei Federal n.º 9.612/98”.

Fonte: TCM

CHAVES: PUBLICADO RESULTADO FINAL DO CONCURSO PÚBLICO

A Prefeitura Municipal de Chaves informa que a organizadora do concurso público nº 001/2018, divulgou o resultado final do certame na última segunda-feira, 05. As provas foram no mês de setembro.
Para conferir a publicação, o candidato deve acessar o site da organizadora RH Consult: https://concursos.rhsconsult.com.br/concursos/ no menu de concursos em andamento e verificar se seu nome está na lista de aprovados.
Há quase 10 anos não era realizado concurso público no município. Com o objetivo de compor o quadro de funcionários de acordo com as necessidades de cada área, o Prefeito Bira Barbosa determinou a realização do certame com a finalidade de proporcionar ao cidadão chaveense, maior celeridade e acesso aos serviços ofertados pelo município.
 Aproximadamente 2000 candidatos se inscreveram para disputar uma das 266 vagas ofertadas aos cargos de: Almoxarife, Auxiliar Administrativo, Auxiliar de Secretaria, Agente Administrativo, Fiscal de Obras e Posturas, Fiscal de Tributos, Técnico Agrícola, Técnico Florestal, Agente de Trânsito, Agente de Vigilância, Epidemiológica, Agente, Vigilância Sanitária, Técnico de Saúde Bucal, Microscopista, Técnico de Enfermagem, Técnico de Laboratório, Administrador, Assistente Social, Biomédico, Enfermeiro, Engenheiro Agrônomo, Engenheiro Civil, Médico Veterinário, Nutricionista, Odontólogo, Psicólogo, Fisioterapeuta, Contador, Advogado, Engenheiro Ambiental, Engenheiro Florestal, Professor Educação Básica I, Professor Educação Básica II Disciplinas Específicas: PEB II –Matemática, PEB II – Português PEB II – História, PEB II ,Geografia, PEB II - Educação Física, PEB II – Ciências, PEB II – Inglês, PEB II – Artes, Professor Magistério, Técnico Pedagógico.
O prazo de validade do concurso público nº 001/2018 é de dois anos, contados a partir da data de publicação da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado uma vez por igual período.

Fonte: ASCOM - Prefeitura de Chaves.

SSBV: MP CELEBRA TAC COM AÇOUGUES DO MUNICÍPIO.


No dia 26 de outubro de 2018, a promotora de Justiça Patrícia Medrado Assmann, realizou nas dependências do Fórum, reunião com proprietários e trabalhadores de açougues do município de São Sebastião da Boa Vista, para explicar o Termo de Ajuste de Conduta (TAC), bem como a finalidade e necessidade dos comerciantes de carnes em se adequar às normas sanitárias.
 Na oportunidade, a promotora pôde ouvir e conhecer as queixas e demandas trazidas pelos profissionais que diariamente trabalham na feira livre da cidade, principalmente quanto ao acúmulo e coleta de lixo do local, péssimas condições da água do município, entre outros temas.
Após esclarecidos os termos do acordo e dos prazos vigentes para adequação dos estabelecimentos, foram celebrados 28Termos de Ajuste de Conduta, contendo algumas medidas imediatas como: a limpeza diária do local, cadastramento junto à Vigilância Sanitária Municipal (VISA), participação nos treinamentos de boas práticas de fabricação e manipulação de alimentos promovido pela VISA; o comprometimento dos açougueiros em comprar, vender, utilizar como insumo, armazenar, carne, vísceras e seus derivados, submetida a prévia inspeção sanitária e provinda de matadouros e frigoríficos devidamente registrados no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) ou na Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará).
 Outras medidas com prazo superior a 30 dias inclui: o compromisso assumidos pelos permissionários em somente receber dos matadouros e frigoríficos, carne e vísceras com temperatura de até 7 graus centígrados, as quais deverão ser armazenadas e conservadas em câmaras frigoríficas ou freezers, e expostas à venda em balcão frigorificado, preservando esta temperatura, que deve ser periodicamente controlada e registrada, sendo que os equipamentos deverão estar em bom estado de conservação e funcionamento; a utilização por parte dos açougueiros de serra fita elétrica ou faca para o corte da carne a qual somente será manipulada em mesa de aço inox, além de utilização de balança digital com selo do Inmetro.
 A promotora de Justiça Patrícia Medrado esclareceu que tais medidas são de fundamental importância tendo em vista os resultados obtidos na Análise Técnica nº 473/2017 realizada pela médica veterinária Maria do Carmo Andion, do Grupo de Apoio Técnico Interdisciplinar (Gati) do MPPA, após vistoria na feira Municipal de São Sebastião da Boa Vista, onde ficou constatada que a comercialização de alimentos se encontrava em desacordo com a legislação vigente.
 A promotora reitera que as vendas no município irão permanecer e que essas medidas são extremamente necessárias para atender as questões sanitárias na alimentação dos habitantes do município. “As atividades voltadas à comercialização de alimentos nas feiras livres irão continuar, e se estenderão aos demais comerciantes, como os vendedores de frango, frutas e verduras, batedores de açaí, inclusive com realização de novos cursos e seminários aos quais serão realizados com apoio do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional do Ministério Público e demais instituições, pois a intenção é capacitar e conscientizar tais comerciantes quanto à necessidade das boas práticas alimentares, ressaltando que a fiscalização das ações de vigilância sanitária e controle de zoonoses no município estão inseridas no Plano de Atuação da Promotoria de Justiça voltados à garantia da saúde pública da população”, explicou a promotora de Justiça, Patrícia Medrado.
Algumas providências já vinham sendo adotadas pelo Ministério Público, desde realizações de reuniões entre a Promotoria de Justiça, coordenador de Vigilância Sanitária, secretário de Administração do Município, e médica Veterinária do Gati a fim de acompanhar as providências adotadas pelo gestor municipal, como também Seminários com a finalidade de educar e informar a população e os feirantes sobre as boas práticas para serviços de alimentação, tais como: manipulação, preparação, fracionamento, armazenamento, distribuição, exposição à venda e entrega de alimentos, bem como normas de edificações e instalações destinadas à comercialização de alimentos.
 No dia 13 de junho de 2018 foi realizado o I Seminário de Segurança Alimentar e Saúde Pública e no dia 12 de julho de 2018, o II Seminário de Segurança Alimentar e Saúde Pública, na zona rural do município.
 Também foi instaurado Inquérito Civil nº 02/2018/PJSSBV com o fim de apurar a responsabilidade do poder público municipal, na adequação dos feirantes às normas de vigilância sanitária, em especial, quando a comercialização de carnes na feira livre da cidade, o qual se encerrou com a celebração dos referidos Termos de Ajuste de Conduta.

Fonte: MPPA

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

SALVATERRA: MUNICÍPIO RECEBE NOVAS INSTALAÇÕES DO BANPARÁ

As novas instalações da agência Salvaterra, entregues na manhã desta segunda-feira (5), já estão em pleno funcionamento.
As novas instalações da agência Salvaterra, entregues na manhã desta segunda-feira (5), já estão em pleno funcionamento no município localizado na ilha do Marajó. A agência, que comporta com mais comodidade clientes e funcionários, possui amplo espaço, terminais de autoatendimento atualizados e já atende às normas de acessibilidade.
 O diretor da Área Comercial e Fomento, Jorge Antunes, presidiu a cerimônia de inauguração que contou com a presença de autoridades locais que atuam em parceria com o Banco, funcionários e clientes. De acordo com Jorge Antunes, o Banpará avança cada vez mais. “O Banco tem como estratégia ampliar e modernizar a rede atendimento para, em conformidade com a sua missão, continuar contribuindo com o desenvolvimento econômico e social do Estado. Assim, estamos entregando agências com espaço mais adequados para o trabalho dos nossos funcionários e para a comodidade dos nossos clientes”, completou Antunes.
 Ailton Dias, cliente do Banpará há mais de 35 anos, chama carinhosamente o Banco de “Bompará”, e relatou que por meio da Instituição, conseguiu realizar grandes sonhos. “O crédito consignado do Banpará é um produto muito bom. Se você tiver uma vida financeira organizada, o produto fica melhor ainda. Foi por meio dele que consegui comprar minhas casas e eu tenho muito a agradecer ao Banco e aos funcionários que sempre nos atendem com muita atenção”.
 Hoje, o Banpará marca presença em nove dos 17 municípios da Ilha, contribuindo com o desenvolvimento econômico e social dos municípios e, em 2018, fez a entrega da agência Senador José Porfírio. Entregou também as novas instalações das agências Tucuruí, Nazaré, Água Azul do Norte, Sapucaia, e Itaituba, além dos Postos de Atendimento nas Estações Cidadania do Shopping Pátio Belém, Shopping Metrópole, Icoaraci e Shopping Karajás, em Parauapebas.

Serviço:
A agência Salvaterra está localizada na Rua Cearense, Nº 195, Bairro Centro, com atendimento ao público no horário de 10h as 15h. Já o autoatendimento funciona das 7h às 20 horas.

Fonte: AGPA

BREVES: MULHER MATA MARIDO APÓS SOFRER AGRESSÕES

Vítima foi morta com vários golpes de faca. (Foto: Via Whatsapp)
Elber Raulino Pacheco, de 25 anos, foi morto com uma faca cravada no peito pela companheira Antônia Jozieli Dias da Silva, de 21 anos na madrugada deste domingo (4), na vicinal 03, na PA-159, zona rural de Breves, no Marajó.
Segundo informações colhidas no local,
Elber teria tentado matar a companheira e um filho do casal de apenas 1 ano e 11 meses, batendo com a cabeça da criança na parede da casa.
 Elber também teria trancado toda a casa e aberto o botijão de gás, além de tentar atear fogo. Antônio travou uma luta corporal com o marido e ao pegar uma faca, passou a desferir vários golpes. A vítima morreu no local. Após o crime, Antônia deixou o filho na casa de um vizinho e fugiu.
O corpo de Elber foi removido e encaminhado para o necrotério do Hospital Municipal de Breves. Já a criança foi levada para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e realizou exame de Corpo de Delito.
Vítima havia matado o tio
Elber já respondia por um homicídio praticado contra o próprio tio, em 2010, no município de Breves. A autoridade policial de Breves instaurou inquérito para apurar o crime e várias diligências estão em andamento para tentar localizar Antônia.

Fonte: DOL