domingo, 31 de março de 2013

CONFLITO AGRÁRIO DEIXA UM MORTO EM SSBV

Um conflito violento entre duas famílias de ribeirinhos pela posse de uma área de 90 hectares às margens do Rio Pracuúba Grande, no município de São Sebastião da Boa Vista, região do arquipélago do Marajó, já contabiliza um assassinato e uma tentativa de homicídio.
O caso acabou na Justiça Estadual e também na Justiça Federal, onde uma decisão recente determinou que, por descumprir um acordo judicial, a família de Eutique Marinho Lopes, de 70 anos, oito filhos e 15 netos, desocupe parte das terras, para que nelas continue morando as famílias de Benedito Ramos e Francisco Brito, inimigos de Eutique, que há vinte anos ocupam o local e também se declaram detentores da área. Uma ponte de madeira seria o marco divisório entre as duas terras.
A decisão da Justiça Federal para a desocupação das terras, obtida por advogados da União por meio de pedido de liminar de reintegração de posse, foi cumprida por um oficial de justiça acompanhado de agentes da Polícia Federal.
O superintendente do Serviço de Patrimônio da União (SPU) no Pará, Lélio Costa da Silva, e a chefe de Regularização Fundiária Rural do órgão, Maria Soraya Ferraz de Lana, estiveram na área para acompanhar o cumprimento da ordem judicial. Uma lancha da Capitania dos Portos deu suporte à operação.

Continue lendo...

sábado, 30 de março de 2013

NOTA DE ESCLARECIMENTO

CONFORME CITAÇÃO NO BLOG MARAJÓ NOTÍCIAS, da quarta-feira 15 de Fevereiro de 2013 (Falso Pescador na Mira da Justiça)

Venho através desta, dirimir algumas informações vinculadas no site.

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável da Pesca e da Aquicultura da Amazônia – IDESPAM, é uma organização criada a partir dos anseios e demandas do setor pesqueiro Paraense durante o “I Grito das Águas” elaborado e executado pelo ex-deputado Chico da Pesca/PT-Pa realizado em 2011 e reuniu aproximadamente 800 lideranças do setor pesqueiros de todas as regiões do Estado do Pará. (LEIA AQUI).
Com objetivo de efetivar as políticas públicas direcionadas ao setor pesqueiro (Assistência Técnica, Acesso ao Crédito, Saúde e Educação e demais), porém, pouco exequíveis. Neste sentido reunimos uma equipe de 25 técnicos em Pesca / Aquicultura / Zootecnia / Agronomia / Advogados/ Administração e Gestão, para disponibilizarmos junto às entidades de classe (Colônias, Associações, Sindicatos, cooperativas e demais) Assistência Técnica, Jurídica e Contábil, visando promover ações concretas para avançarmos no combate à pobreza, fome e miséria. Através da produção aquícola (piscicultura), garantiremos emprego, renda e alimento ao pescador (a) Artesanal e Aquicultor.
Estamos atuando efetivamente na organização administrativa das entidades, com intuito de organizar a forma de atendimento justo ao pescador (a), visando melhorias na qualidade de vida e dignidade humana deste povo das águas tão sofrido e carente de “tudo”.
O IDESPAM possui parceria com todos os órgãos vinculados com a Pesca e Aquicultura Paraense e todas as atividades desenvolvidas são informadas previamente aos mesmos. Principalmente: SEPAQ / MPA / INSS/ MARINHA DO BRASIL / IBAMA / SEMA / UFRA / UFPa / IFPa / SPU / SEGUP, entre outros. Via oficio, convidamos todos os entes públicos para participação nos Seminários Regionais e/ou Municipais. O levantamento socioeconômico das entidades/recadastramento é para reorganizar os sócios, identificar o perfil econômico (para elaboração de projetos), identificar o número de mulheres, jovens, crianças e idosos - visando ações do dia da mulher pescadora / Corrida de Rabeta/Rabudo com jovens / Dia do Idoso Pescador / Identificação das Embarcações /Educação e Capacitação para Criação de Peixe e Manejo do Camarão e outras.
O principal produto deste levantamento é a Elaboração do “Plano Diretor de Desenvolvimento Sustentável da Pesca e da Aquicultura” de cada município participante, onde as Prefeituras/Secretarias Municipais de Pesca/Lideranças da Pesca atuam em conjunto.
As entidades firmam o acordo de cooperação com o IDESPAM para realização das atividades.
Atividades em Andamento:
1. LEIA AQUI
2. LEIA AQUI

 A internet ainda é tida por muitos como um território livre, sem lei e sem punição. Mas a realidade não é bem assim: diariamente, o Judiciário vem coibindo a sensação de impunidade que reina no ambiente virtual e combatendo a criminalidade cibernética com a aplicação do Código Penal do Código Civil e de legislações específicas como a Lei n. 9.296 – que trata das interceptações de comunicação em sistemas de telefonia, informática e telemática – e a Lei n. 9.609 – que dispõe sobre a proteção da propriedade intelectual de programas de computador. Insultar a honra de alguém (calúnia – artigo138), espalhar boatos eletrônicos sobre pessoas (difamação – artigo 139), insultar pessoas considerando suas características ou utilizar apelidos grosseiros (injúria – artigo 140), ameaçar alguém (ameaça – artigo 147).
Com base na Constituição Brasileira, nossa Comissão Jurídica entrará com representação junto a Justiça para levantarmos e investigarmos os endereços de IP (computadores) de todos os envolvidos nessa notícia, os ditos “anônimos” e preocupados com as questões políticas e eleitorais vindouras, deveriam mostrar sua “cara” para irmos ao debate e chamar quem realmente participa do processo. As entidades de classe e poder público. Precisamos usar o direito democrático de acesso as informações para esclarecer e munir o povo conhecimento, sabedoria e ética. Só assim construiremos um País justo e democrático no Estado de direito.
Aproveito o espaço deste renomado blog informativo e combativo, para convidar todos os interessados em Desenvolver o Setor Pesqueiro para visitar e discutir ações claras para o Desenvolvimento do nosso querido e amado Marajó. Prefeitos / Secretários de Pesca / Colônias / Associações / Sindicatos e demais.
A política existe, porém – devemos lembrar que existem pescadores (as) passando fome e necessidade no interior do Estado e é nosso dever e obrigação como servidor público concursado, atender estes cidadãos. Quem tem fome, tem pressa!! “Sem luta não há Progresso” (Friedrich Engels)

Belém, 30 de Março de 2013 – 13h10min
Por: Júnior Terra
Coordenador de Pesca Engenheiro de Pesca
CREA 17146 D/Pará
Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura – SEPAq
Consultor Técnico em Pesca, Aquicultura e Políticas Públicas.
 Especialista em Gestão Pública e Gerenciamento de Projetos – FGV/RJ

Mais Informações:
Av. Gentil Bittencourt, 827 - Batista Campos,
CEP 66.040-000, Belém-Pará-Brasil.
Fone(s):(91)3241.2545/3241.2840/3241.2452. Fax:(91)3222.8310.
E-mail: sepaq@sepaq.pa.gov.br

sexta-feira, 29 de março de 2013

ORQUESTRA DE PONTA DE PEDRAS FAZ SHOW EM BELÉM

A Associação Musical Melodia Celestial (Amec), do município de Ponta de Pedras, na Ilha do Marajó, traz à Estação das Docas, neste domingo, 31, um show regado a ritmos populares, dos tradicionais aos contemporâneos. A apresentação começa a partir das 18h, na orla do Armazém 3.
 A Amec nasceu em 2007, em Ponta de Pedras, e desde então mantém um repertório diversificado e voltado exclusivamente para a música brasileira. O grupo, composto por 35 integrantes, entre músicos e cantores, mostra um show regado a samba, xote, forró e outros ritmos regionais.
 Esta é a segunda vez que a orquestra faz show na Estação das Docas. “Estivemos em agosto de 2008 e nos sentimos privilegiados em voltar a este local, pois o fluxo de visitantes que circula aqui é intenso. Para nós, é uma vitrine para mostrarmos o nosso trabalho a pessoas vindas de todos os lugares do mundo”, conta o presidente e regente da Amec, Rogério Tavares.

 Serviço:
“Associação Musical Melodia Celestial”, de Ponta de Pedras. Neste domingo, 31, a partir das 18h, na orla do Armazém 3, na Estação das Docas (Av. Boulevard Castilhos França, s/n - Campina). Informações: (91) 3212.5660. Entrada gratuita

Fonte: Agência Pará

quarta-feira, 27 de março de 2013

SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PORTEL APREENDE QUASE 5 TONELADAS DE PALMITO EM FÁBRICA CLANDESTINA

Fábrica de palmito no meio da floresta: Coisa muito comum na região
A Secretaria Municipal de Meio ambiente de Portel apreendeu na manhã desta quarta-feira (27) aproximadamente 380 cxs de palmito em potes (aproximadamente 5 tolenadas ). A apreensão foi feita pela equipe de fiscalização da SEMA/Portel em uma fábrica clandestina situada no Rio Jabutinema, afluente do Rio Pacajá. Os fiscais constataram que a fábrica atuava  de forma irregular e sem cuidados com a questão sanitária no manuseio e preparo do palmito em conserva.
Situação insalubre dos trabalhadores e a completa falta de higiene na preparação e armazenamento do produto




Segundo a secretária do meio ambiente de Portel, Renilda Machado (foto), por determinação do prefeito Paulo Ferreira, sua secretaria está empenhada em combater a degradação ambiental e a extração mineral desordenada no município.
"O que a população precisa compreender é que a  SEMA/Portel é parceira, não inimiga, por isso, vamos continuar combatendo a prática dolosa ao meio ambiente e garantir com isso, que os produtos oriundos da floresta, sejam utilizados através de manejo comunitário e de forma sustentável", disse a secretária,
 Fotos: SEMA/Portel e ASCOM/Portel

OEIRAS, PONTA DE PEDRAS E SSBV, SÃO CAPACITADOS A ACESSAR RECURSOS DA POLÍTICA HABITACIONAL

Aldebaran Moura, da ONG Fase Amazônia, é responsável pela metodologia da capacitação

A Cohab reiniciou na última terça-feira, 25, na Escola de Governo, as capacitações da Ação PLHIS 2013 (Plano Local de Habitação de Interesse Social), para promover a regularização dos municípios junto ao Sistema Nacional de Habitação de Interesse Social (SNHIS). Participaram destes dois dias de treinamento representantes dos municípios de Igarapé-Açu, Oeiras do Pará, Aurora do Pará, Garrafão do Norte, Ponta de Pedras, Primavera, Santarém Novo, São Francisco do Pará, São Miguel do Guamá, São Sebastião da Boa Vista e Vigia.
 A capacitação visa basicamente orientar os gestores municipais para que se integrem ao SNHIS. Para isso, é necessário que os municípios criem seu Conselho Gestor, o Fundo de Habitação de Interesse Social e também elaborem o Plano Local de Habitação de Interesse Social.
 Para acompanhar esse trabalho de capacitação, a Cohab contou com a participação de Edson Ribeiro, representante do Ministério das Cidades. Segundo ele, a dificuldade maior dos municípios é no momento de elaborar seus planos, mas assegura que o Pará está em situação mais favorável que muitos outros estados. "Hoje, 45% dos municípios paraenses estão com seus planos elaborados, enquanto São Paulo, por exemplo, tem apenas 20% dos seus municípios regularizados que diz respeito ao plano", informou.

Continue lendo...

domingo, 24 de março de 2013

SSBV: "DA LAMA AO CAOS"

Peço licença ao saudoso Chico Science para usar  seus versos e adaptá-los à realidade em que vive a população boavistense. Não posso me eximir em emitir opinião sobre a forma provinciana de governar adota pelo "novo" governo Getúlio Brabo e seus asseclas.

"Posso sair daqui para me organizar 
Posso sair daqui para desorganizar 
(....) 
 Da lama ao caos, do caos à lama 
Um homem roubado nunca se engana 
(....)
Ô Getúlio, eu nunca ví tamanha desgraça 
Quanto mais miséria tem, 
mais urubu ameaça" 
(Chico Science)

Parafraseio o criador do mangue beat para externar minha indignação com imagens e depoimentos que chegam constantemente ao blog. Vejam vocês:
A prefeitura de São Sebastião da Boa Vista, que há muito é "administrada" pelos Pereiras, Teixeiras, Brabos e agora por Vianas e Alves, apenas tapa os buracos das ruas da cidade se a população doar o material para o serviço. É isso.. Acreditem.
Rua 18 de novembro, em SSBV. Se morador quiser sair da lama, tem que doar o cimento.
Agora não sei mais se dou risada ou choro de raiva...

Mas, é pra frente que se anda, na lama, né?


VEREADOR DE PORTEL LANÇA PROJETO SOCIAL

Ver. Ângelo Jr. 
No intuito de diminuir o sofrimento de irmãos e irmãs portelenses que padecem pela falta de emprego, o que aumentou muito a demanda por assistência social, segurança alimentar e inclusão sociocultural, o Ver. Ângelo Jr (foto), presidente da Câmara, lançou neste mês de março o "Projeto Social ME AJUDA, MANO!".
Nele, o vereador pretende realizar ações nos bairros periféricos da cidade e em comunidades ribeirinhas.
Em conversa com o blog, Ângelo Jr. nos disse que em campanha escutou muitos pedidos de ajuda, por isso a decisão de formalizar um projeto assim.
"Temos projetos mais complexos, para isso, estamos criando o IFAO -Instituto Francisco Ângelo de Oliveira, que trabalhará na geração de emprego e renda, cursos profissionalizantes e educação ambiental", disse o vereador.
O blog visualiza a atitude do vereador com otimismo. O desemprego criou bolsões de miséria na cidade e no campo, e ações, independente de que lado venham, sempre ajudará a minimizar os efeitos da degradação causada pela falta de oportunidade.

sábado, 23 de março de 2013

SEMINÁRIO PREPARA GESTORES PARA CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS DAS CIDADES

Representantes de prefeituras do Pará, de Associações de Municípios e da Comissão Preparatória Estadual participaram do seminário
Representantes de prefeituras municipais do Pará, de Associações de Municípios e Comissão Preparatória Estadual participaram na manhã desta sexta-feira (22), na Escola de Governo do Pará (EGPA), do Seminário de Nivelamento sobre as Conferências das Cidades. O evento, realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Integração Regional, Desenvolvimento Urbano e Metropolitano (Seidurb), com apoio da Casa Civil da Governadoria, visa capacitar representantes dos municípios para as conferências municipais, que deverão acontecer até 1º de junho de 2013. O seminário prosseguiu durante a tarde, com a presença do titular da Seidurb, Márcio Spíndola.
 Segundo Sônia Pinto, da Comissão Preparatória Estadual, é imprescindível que todas as prefeituras realizem suas conferências. “Aquelas que não decretarem suas conferências ficam impossibilitadas de receber recursos federais para a área de desenvolvimento urbano”, informou.
 Os debates no seminário, segundo a coordenadora, também esclarecem dúvidas sobre a V Conferência Estadual das Cidades, que acontecerá nos dias 16, 17 e 18 de setembro em Belém. No seminário também foram escolhidos os delegados que representarão os municípios no evento estadual. “Na Conferência Estadual serão eleitos os delegados para a Nacional, que acontece em novembro deste ano”, disse Sônia Pinto, lembrando que as prefeituras têm até o dia 30 de março para convocar a conferência municipal.

Continue lendo...

sexta-feira, 22 de março de 2013

GRUPAMENTO FLUVIAL E MARINHA FORMAM 45 AGENTES DE PILOTAGEM DE EMBARCAÇÕES

O Grupamento Fluvial (GFlu), do Sistema de Segurança Pública do Pará, e a Marinha do Brasil formaram 45 agentes, na segunda turma deste ano do curso especial para pilotar e tripular embarcações em uso no serviço público. A formatura aconteceu nesta sexta-feira (22), na sede do GFlu, na Rodovia Arthur Bernardes, em Belém, e foi marcada pela aula prática de pilotagem. A cerimônia de entrega dos certificados e das habilitações para pilotagem teve as presenças do delegado Dilermando Dantas, diretor do GFlu; do capitão de fragata Sérgio Ventura da Paixão, que representou o capitão de mar e guerra Sérgio Duarte Nunes, da Marinha; do major Ricardo Polaro, da Divisão de Ensino da Polícia Militar; do major Francisco Machado, do Comando de Missões Especiais da PM, e do capitão Kleverton Firmino, da Companhia Independente de Polícia Fluvial da PM.
Foram formados agentes das Polícias Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros Militar do Pará, da Guarda Municipal de Belém e da Polícia Federal, além de fuzileiros navais. Todo o curso foi ministrado por profissionais da Capitania dos Portos, órgão ligado à Marinha do Brasil, que habilitaram os agentes à pilotagem e para atuar como tripulante de embarcações, como lanchas e navios, visando a atuação em operações policiais e de resgate de vítimas de acidentes nos rios do Pará. A formação aconteceu na sede do GFlu.
Os participantes tiveram aulas de uso de rádio VHF para comunicação marítima; legislação sobre tráfego aquaviário; manobras de embarcações; noções sobre motores propulsores; noções sobre estabilidade de embarcações; navegação e meteorologia; aplicação de nomenclaturas náuticas e noções básicas sobre poluição ambiental nos rios. Os agentes conheceram ainda técnicas de sobrevivência de náufrago e de segurança de pessoas, por meio de prática de primeiros-socorros e de combate a incêndios.

Continue lendo...

quinta-feira, 21 de março de 2013

O MARAJÓ MERECE UM CURSO DE MEDICINA


Extraído do Blog do Dep. Valdir Ganzer

Como deputado bem votado na região do Marajó, apresentei projeto indicativo na Assembleia Legislativa solicitando ao Governo do Estado a criação do curso de medicina no Marajó, mais especificamente em Breves, onde está instalado o Hospital Regional com capacidade para oferecer a residência médica exigida dos estudantes no final do curso.
Há uma imensa carência de médicos no Pará, especialmente nos municípios marajoaras e as prefeituras têm grande dificuldade em contratar e manter profissionais da saúde no interior.
Esperamos que a nova geração de estudantes do Marajó abracem a causa e lutem pela implantação do curso que em dez anos poderá estar formando os primeiros médicos nativos da região. Os prefeitos eleitos, através da Associação dos Municípios do arquipélago, já se manifestaram favoráveis e essa demostração me deu forças de seguir em frente e apresentar o indicativo que agora vai para sanção do governador. Em anos anteriores eu cheguei a apresentar emendas de alguns milhões de reais para viabilizar a implantação do curso mas sem obter sucesso, Agora o momento está propício e as atenções se voltam para o arquipélago que detém diversos índices negativos de desenvolvimento humano, principalmente nos setores da saúde e educação. O Governo Federal volta suas atenções para as camadas menos assistidas e investe em creches, unidades de pronto atendimento, saúde da família e tantos outros programas.
É provavél que eu já esteja aposentado da política quando o curso formar os primeiros médicos. Mas se tudo der certo e os jovens de hoje forem os médicos de amanhã cuidando da saúde dessa gente amiga e humilde eu saberei que a semente plantada em solo marajoara transformou-se em uma imensa árvore frondosa e repleta de frutos.


quarta-feira, 20 de março de 2013

SAÚDE EM SSBV: PIOR QUE ESTÁ, AINDA VAI FICAR

Quanto mais tempo passa, mais eu tenho certeza que a proposta de arruinar a cidade de São Sebastião da Boa Vista é prioridade do Governo Getúlio Brabo e seus asseclas.
Depois das diversas denuncias de morte por negligência, falta de médico, de socorro adequado, falta de medicamento e outras, a pasta da saúde de SSBV, entregue nas mãos de uma  marionete muito bem manipulada pelo atual vereador Delcimar Viana, que teve que deixar ( de faz de conta) a secretaria para concorrer a vereança ( mesmo com contas reprovadas pelo TCM e que estão com recurso), deve mudar de "comandado". Agora o vereador SAMU dará ordens ao ex-secretário de saúde de Chaves/Marajó, José Raimundo Farias.
Enfermeiro e Gestor Hospitalar, José Raimundo, em 2012, foi alvo de ação do MPF que através do Procurador dos Direitos do Cidadão, Alan Mansur, obrigou, com base em relatório do Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus) o município de Chaves a corrigir 40 irregularidades na saúde. ( leia AQUI). Alguns dias depois o mesmo ex-secretário de saúde de Chaves usou a imprensa para rebater o MPF ( Leia AQUI).
O que mais preocupa a população é a forma que Getúlio está conduzindo o seu tão sonhado mandato conseguido nas urnas ( mesmo com denuncias de captação ilícita de sufrágio). Ausente e improbo, Getúlio deve entrar pra história politica do município de forma muito negativa..

O ASSALTO
Virou costume na cidade estas ocorrências de assalto às vésperas de pagamento de servidores. Desta vez, um servidor da secretaria de saúde passeava tranquilamente (pra lá e pra cá) pelas perigosas ruas de SSBV com a ninharia de R$ 70.000,00 ( setenta mil reais) para pagamento dos servidores da saúde, e foi assaltado...Ora, ora
É muito acreditar na inocência do povo, não ?

VAI LÁ, SUMANO !


terça-feira, 19 de março de 2013

DEP. FEDERAL ZÉ GERALDO (PT) E DEP. ESTADUAL AIRTON FALEIRO (PT) VISITAM GURUPÁ

Extraído do blog do Dailton Palheta

Os deputados foram recebidos pelo prefeito Raimundo Nogueira e seu vice Mané Chico
Não é nenhuma crise, mas, todos sabem que Gurupá atravessa momentos de turbulências no setor administrativo, a exemplo da maioria dos municípios do Pará. A visita do Dep. estadual Airton Faleiro e do Dep. federal Zé Geraldo, ambos do PT, ocorrida na última sexta-feira (15), pode ter acontecido em uma boa hora. Durante a estada dos parlamentares, várias reivindicações foram apresentadas por lideranças políticas e comunitárias. Em uma reunião no gabinete municipal, o prefeito Raimundo Nogueira detalhou as dificuldades encontradas ao assumir o comando do município, dentre as principais, a queda no valor do repasse do FUNDEB(Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação Básica), estimando uma redução de mais de 5 milhões para este ano. Outro assunto foi a celeridade ao processo de funcionamento da agência do Banco do Brasil, momento aguardado com grande expectativa pela população gurupaense, que ultimamente, vem sendo sacrificada pela deficiência no atendimento bancário, inclusive, havendo casos de pessoas que tiveram que aguardar por até uma semana, até conseguir efetuar um simples saque no caixa. Outro assunto tratado foi com relação ao IPMG(Instituto de Previdência do Município de Gurupá), que segundo o prefeito, foi recebido com um saldo de R$-1.900.000,00(um milhão e novecentos mil reais), sendo que foram descontados nos contracheques dos funcionários R$-400.000,00(quatrocentos mil reais) ao mês, isso por um período aproximadamente de 8 meses. Ainda no gabinete, o vice-prefeito Mané Chico, chamou a atenção para a estagnação do setor agrícola, onde muitos agricultores optaram por ingressar no serviço público, fazendo com que a produção enfraqueça cada vez mais.

Continue lendo...

É PRA FRENTE QUE SE ANDA ?


segunda-feira, 18 de março de 2013

INCLUSÃO DIGITAL EM MELGAÇO

ALUNOS DO PROJOVEM ADOLESCENTE PARTICIPAM DE CURSO DE INFORMÁTICA

Está sendo realizado na Biblioteca Pública Municipal, um curso de informática básica direcionado aos alunos do Projovem Adolescente. Uma oportunidade para os jovens conseguirem certificar-se em conhecimentos básicos de computação.
Os ministrantes do curso, Itamar de Vasconcelos e Adonias Rodrigues de Lima, alunos do curso de informática no Instituto Federal do Pará estão muito satisfeitos com o desempenho dos alunos. “Alguns nunca haviam ligado um computador, agora já conseguem formatar qualquer texto sem nenhuma ajuda” (Itamar de Vasconcelos, 26).
 Em seguida a este curso para jovens, também ministrarão um curso voltado para a Terceira Idade, que se iniciará em abril.

Fonte: Portal Melgaço

PORTEL É O 9º EM NOTIFICAÇÃO DE CASOS DE DENGUE NO PARÁ

A situação em Portel é alarmante, mas o município está com ações educativas e preventivas
A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) divulgou nesta segunda-feira, 18, o quinto informe epidemiológico sobre a situação da dengue no Pará. Até o momento, dos casos suspeitos e notificados da doença, 1.358 foram confirmados, com a seguinte classificação: 1.346 de dengue clássica, cinco de dengue com complicação, três de febre hemorrágica e quatro de síndrome do choque. Os números foram divulgados pela Coordenação do Programa Estadual de Controle de Dengue.
 Os municípios com maior número de notificações são Santarém (568), Belém (472), Parauapebas (348), Rurópolis (297), Itaituba (164), Marabá (162), Oriximiná (135), Rio Maria (131), Portel (124), Conceição do Araguaia (104), Santa Maria das Barreiras (101), Altamira (100) e Ananindeua (98). Lideram em números de casos confirmados os municípios de Santarém (207), Parauapebas (181), Oriximiná (112), Rio Maria (128) e Belém (94). Há confirmação de quatro óbitos por dengue um em Rurópolis, um em Oriximiná, os outros dois ocorreram com residentes de Paragominas e Altamira.
Segundo o Departamento de Controle de Endemias, a Sespa continua auxiliando os municípios para o combate à dengue no Estado, principalmente nas regiões sul e sudeste do Pará. A Secretaria trabalha na mobilização dos hospitais regionais e municipais, além de entidades e sociedade civil. Além disso, com o apoio dos Centros Regionais de Saúde, auxilia os municípios na elaboração do plano de trabalho para a prevenção da doença

Continue lendo...

INCOMPETÊNCIA OU DOLO ?

Imagem extraída do RD de Diário do Pará (Edição de 18/03/2013)


NOTA DO BLOG
A interrogação no título desta postagem pode muito bem ser uma exclamação. Há muito estamos por aqui alertando sobre os desmandos de um grupo que se intitula "dono" do município de SSBV. Uns forasteiros, outros apenas na intenção de enriquecer às custas do dinheiro público. Só sei que a corda aperta ainda mais no pescoço de quem acredita que a justiça é coisa realmente para os PPP's (pobres, pretos e putas).
Sinceramente, ainda enxergo luz no fim deste túnel

AÇÃO ATENDE FAMÍLIAS DO MARAJÓ

Trinta e duas famílias ribeirinhas na região do Marajó serão beneficiadas através de ações de regularização fundiária. Elas irão receber da Superintendência do Patrimônio da União (SPU/PA) o Termo de Autorização de Uso Sustentável (Taus) que reconhece o direito dos ribeirinhos à ocupação das áreas de várzeas.
A entrega do termo será realizada entre os dias 19 e 24 nas cidades de Ponta de Pedras, São Sebastião da Boa Vista e Muaná. De acordo com o superintendente, Lélio Costa, a ação é desenvolvida através do projeto Nossa Várzea: Cidadania e Sustentabilidade na Amazônia, que há sete anos realiza a regularização fundiária no Marajó. Já foram beneficiadas dez famílias no território.
Segundo Lélio, a regularização visa garantir a segurança de posse e uso de forma sustentável. “As famílias vivem nessas áreas há anos. Nós estamos apenas garantindo o que é de direito de quem efetivamente ocupa essas áreas”.
O superintendente explica que as áreas de várzeas e ilhas com a presença de comunidades tradicionais que utilizam o meio ambiente como forma de sustento pertencem à União, como está definido o Art. 20 da Constituição. “Há casos de famílias ribeirinhas que tiveram suas plantações destruídas por pessoas que apresentaram alguns papeis e se intitulavam como proprietárias das terras, documentos estes que não reconhecemos. Então, com a regularização, diminuímos também os conflitos fundiários que há anos essas famílias sofrem”.

CIDADANIA
De posse do Taus, as populações tradicionais poderão ter acesso a políticas públicas. “O termo garante a elas o direito à cidadania, acesso aos programas sociais que o governo desenvolve e melhoria na qualidade de vida”. Segundo conta no site da SPU, os benefícios citados são: direito de comprovar o endereço onde mora e a atividade rural que exerce assim como garantir a aposentadoria junto ao INSS e ter acesso a créditos e financiamentos.
 Lélio informa que o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) está realizando um estudo sobre o projeto várzea no Estado do Pará.

Fonte: (Diário do Pará)

domingo, 17 de março de 2013

O CONTRASTE SOCIAL

Meio Ambiente, Açaí e Farinha: Linhão de Tucuruí e Comunidades: Rio campina, em Portel, já divisa com Melgaço: Linhão de Tucuruí passando em cima das comunidades e nelas, nada de energia elétrica.  É hora...

FEIRA DO ARTESANATO MUNDIAL É ABERTA NO HANGAR

O governador em exercício, Helenilson Pontes, visita o estande de Oeiras do PArá
A segunda edição da Feira do Artesanato Mundial (FAM) e da Feira do Artesanato Estadual foi aberta oficialmente na tarde deste sábado (16), pelo governador do Estado em exercício, Helenilson Pontes, no Hangar - Convenções e Feiras da Amazônia. O evento é organzado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Trabalho, Emprego e Renda (Seter) e conta com o apoio da Companhia Paraense de Turismo (Paratur), Instituto de Artes do Pará (IAP), Secretaria de Estado de Turismo (Setur), Secretaria de Estado de Indústria, Comercio e Mineração (Seicom), Proz Paz, Curro Velho e Sebrae.
 Após a abertura oficial do evento, Helenilson Pontes, governador do Estado em exercício, assistiu a uma apresentação cultural e depois visitou os estandes. Para ele, a feira representa o fortalecimento da cultura paraense, através da promoção e estímulo ao artesanato e à cultura do estado.
 “Hoje estamos abrindo a oportunidade para os artesãos de todo o estado virem até Belém e mostrarem a sua riqueza e a sua capacidade de criação. O artesanato é um incremento para o turismo, aliando o que a agente tem de mais bonito, que é a nossa cultura e a nossa beleza natural. É o segundo ano que se promove essa feira e cada vez mais o Pará se revela como uma capital de grandes eventos na Amazônia”, disse o chefe do Executivo.

OEIRAS DO PARÁ TEM ESTANDE NA FEIRA
Oeiras do Pará tem um apelo cultural muito forte em várias vertentes, grupos folclóricos estabelecidos e importantes que elevam à cada ano o nome do nosso município. O samba do cacete - por enquanto adormecido - o potencial cultural dos nossos irmãos quilombolas, a arte cênica que desponta com o diretor e ator Walber Monteiro, dança de rua que tem a a observação da SECULT e terá seu espaço com participação de artistas conhecidos no nosso estado, entre outros.  O festival do camarão, que é a maior festa cultural do nosso povo necessita incorporar novamente o espaço voltado às grandes apresentações culturais e trabalhos que são desenvolvidos por nossos artesãos como os que estão sendo mostrados e vendidos com grande aceitação na FAM - Feira do Artesanato Mundial, no Hangar. Valorizar e creditar às pessoas que mesmo no anonimato fazem a diferença em nossa terra, é intenção da administração do nosso município. Buscar novos parceiros para que todos possam mostrar seus trabalhos e poder gerar renda para suas famílias além de divulgar nossa cultura. 
Agradecemos neste momento a participação do casal Alexandre e Priscila, e do Alberto que estão expondo suas obras no Hangar e às pessoas que mandaram seus trabalhos. Registramos o trabalho também estabelecido da família Amaral que não está participando da feira mas, de certo, participará de novos eventos que virão. Enfim, precisamos aglomerar o maior número possível de profissionais nas diversas áreas culturais para que possamos dar uma visibilidade positiva pra nossa Oeiras do Pará. 

Texto e Imagem: Gerson Miranda (Bigú), no facebook

Continue lendo...

sábado, 16 de março de 2013

PLANO ESTADUAL DO AÇAÍ TEM PLANO DE AÇÃO ELABORADO EM OFICINA

Alguns produtos que podem ser feitos a partir do açaí, apresentados na oficina
O planejamento estratégico para a implementação do Programa Estadual de Qualidade do Açaí foi elaborado na oficina encerrada nesta sexta-feira, 15, na sede do Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas (Sebrae). A promoção foi da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri) que pretende, em conjunto com o grupo de trabalho que compõe o Programa, incentivar o desenvolvimento da cadeia produtiva do açaí.
 A oficina foi ministrada pelo engenheiro agrônomo do Rio Grande do Sul, Sergio Cordioli, especialista em economia rural. Cordioli vai redigir o documento e enviá-lo na próxima semana para ajustes e complementação dos órgãos responsáveis pelo Programa do Açaí. O plano de ação será finalizado pelo grupo de trabalho no início de abril e posteriormente apresentado ao secretário Estadual de Agricultura Hildegardo Nunes.
 “A estruturação das linhas de ação é fundamental para alcançar os objetivos do Programa”, disse a secretária adjunta da Sagri, Eliana Zacca, que participou da oficina, juntamente com os gerentes de Agronegócios Sergio Menezes, e de Fruticultura, Geraldo Tavares. Também participaram representantes do Sebrae, das secretarias de Saúde do Estado (Sespa) e Município (Sesma), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa) e Associação dos Batedores Artesanais de Açaí (Avabel).

Continue lendo...

NOVA CASA DO LEGISLATIVO DE PORTEL FOI INAUGURADA HOJE

O Prefeito de Portel, Paulo Ferreira, prestigiou o evento

 Prestes a desabar na cabeça dos vereadores, o prédio da Câmara Municipal de Portel foi totalmente reformado e inaugurado hoje (16) pela manhã. Além de um novo plenário para as discussões e debates, o prédio ganhou novas salas de comissões, gabinete, diretoria e tesouraria. O público também terá acesso melhorado com as novas instalações. O presidente da Câmara, Ver. Ângelo Jr (foto) é o grande responsável por toda esta mudança estrutural na Câmara, enfrentou críticas, mas, com pulso e determinação, tocou a reforma para frente.

Homenagem
Por iniciativa do Pres. da Câmara, Ver. Ângelo Jr, o novo prédio passa a se chamar "Palácio do Legislativo Ver. José Palhete Diniz Neto", homenagem justa a um ex-vereador que faleceu em 2012. Zé Diniz, como era carinhosamente conhecido, cidadão portelense que ajudou muitas pessoas através da saúde e esporte.

sexta-feira, 15 de março de 2013

EMATER INCENTIVA RESGATE DA PRODUÇÃO DE PANEIROS EM PORTEL

No intuito de resgatar uma tradição centenária a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) está incentivando as famílias ribeirinhas da comunidade Santa Terezinha no Rio Acutipereira, em Portel, Ilha do Marajó, prosseguirem com a fabricação artesanal de paneiros. A técnica, repassada de pai para filho, agora só é praticada por duas mulheres da localidade.
 A fabricação das cestas é uma fonte geradora de renda, além de ser o único produto de armazenamento do açaí na comunidade, que é a maior produtora do fruto no município. A idéia é promover oficinas onde serão repassadas as técnicas de fabricação do paneiro, aproveitando principalmente o cipó de arumã, arbusto nativo da região.
 Outra preocupação da Emater com relação à comunidade é o manejo dos açaizais. Nas áreas de produção nativa a equipe técnica busca aumentar a produtividade do fruto em até 30% somente com a aplicação das técnicas adequadas de manejo. As famílias também recebem informações acerca das exigências da vigilância sanitária para com a colheita do fruto.
 A preocupação com a coleta do açaí se dá não apenas para atender as necessidades sanitárias, mas também por conta da perda do fruto, colhido de forma inadequada. Segundo Jocemar Mendes, técnico em agropecuária da Emater, hoje a comunidade produz 13 mil latas do fruto por hectare e apenas uma vez por ano, realidade que já está mudando em algumas áreas, como a que pertence ao produtor Ezequiel Moreno, onde está sendo trabalhada a indução floral das plantas para garantir colheita do açaí também na entressafra. “A possibilidade de colher o fruto duas vezes por ano vai garantir um aumento da renda para essas famílias e, consequentemente, a melhoria da qualidade de vida da comunidade”, disse o técnico.

Fonte: Ag. Pará

quinta-feira, 14 de março de 2013

IAP E PROJETO TERRA FECHAM PARCERIA QUE VAI COMEÇAR PELO MARAJÓ

Reunião no IAP que selou a parceria contou com a presença de representantes de diversos órgãos ligados ao turismo
Imprimir a alma do paraense em seus produtos e vendê-los com conceito e inovação. Este é o principal objetivo do Projeto Terra, capitaneado pelo biólogo e apresentador de TV, Richard Rasmussem, para montar cases de mídia sobre o artesanato, com a finalidade de comercialização. Diferentes de catálogos de venda comumente associados aos estandes e lojas de artesanato já existentes, a ideia do Projeto Terra é produzir documentários não apenas sobre o objeto em si, mas sobre a vida de cada artesão.
 À frente de programas de televisão sobre animais do bioma de várias partes do mundo, há mais de 10 anos, Richard também vê a necessidade de apesentar as artes e cultura dos locais por onde passa. “Viajo o mundo inteiro e sou amante da cultura. Infelizmente, o que vejo sendo vendido lá fora não é o melhor que o Brasil tem a oferecer. Por isso, a intenção de criar este projeto”, informou o apresentador durante a reunião realizada no Instituto de Artes do Pará, na manhã desta quinta-feira, 14.
 Segundo Richard, o diferencial do projeto se dá em dois pontos: no mapeamento do melhor na produção de artesanato no interior dos estados brasileiros; e no modo como este artesanato será apresentado. “Os produtos que são colocados lá fora não nos representam, simplesmente porque são ruins. O melhor do Brasil não está sendo visto pois falta alma nesses produtos. O que a gente precisa é colocar nossa identidade”, afirmou.
 Para o presidente do IAP, Fábio Souza, a parceria do Governo do estado com o Projeto Terra, “é exatamente o que nós precisamos para entrar definitivamente no Marajó. Por isso queremos implementá-lo”, enfatizou. Fundamentalizado de forma ampla, agregando os órgãos de turismo, assistência social e tecnologia presentes no estado, a implementação do Projeto Terra no Pará pretende ser mais que um simples polo de venda e circulação de produtos artesanais. A proposta de começar pelo Marajó traz como mote não apenas a beleza do artesanato marajoara, mas sim a necessidade de melhorar os índices de IDH da região, considerada hoje uma das mais pobres do estado.
 A partir deste primeiro alinhave, a implementação do Projeto Terra segue agora para os estudos técnicos, onde serão definidas as frentes de entrada de cada órgão, contando ainda com a interlocução da ONG No Olhar. Segundo a diretora da ONG, Patrícia Gonçalves, a presença da No Olhar chega pelo interesse da entidade em auxiliar as comunidades marajoaras, “a trabalhar de forma sustentável, com uma produção limpa através daquilo que o Marajó já faz; ou seja melhorar as formas de trabalho e vida na comunidade”, explicou.
 Após as definições das linhas de trabalho dos órgãos, o Projeto Terra deve ser colocado em prática em cerca de três meses. “Nós queremos que esse projeto saia do campo espiritual e se torne palpável e concreto”, finalizou Richard Rasmussem. A reunião contou com a presença de representantes da Secretaria de Estado de Turismo, Paratur, Pro Paz, Belemtur, Secretaria de Estado de Assistência Social, Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, ONG No Olhar, Sebrae-Pará, Loja Katmandu (SP) e Projeto Terra.

Fonte: Ag. Pará

GOVERNO SE UNE COM GRAMEEN BANK PARA COMBATER A POBREZA NO MARAJÓ

Conceder financiamento a juros baixos e sem cobrança de garantia, para pessoas de baixa ou nenhuma renda, é o objetivo da parceria firmada entre o Governo do Pará e o Grameen Bank, conhecido como “Banco dos Pobres”. A estratégia de enfrentamento da pobreza no Estado, que aproveitará o know-how de mais de 30 anos da instituição financeira, será implantada primeiramente no Arquipélago do Marajó, que tem os mais baixos índices de desenvolvimento humano (IDH) do Estado.
 A parceria com o governo do Pará será efetivada por meio do Banco do Estado do Pará (Banpará), com a intermediação do professor Huzzatul Islan Latifee, diretor presidente do Grameen Bank, que está no Pará fazendo uma visita técnica a alguns municípios do Marajó.
 Na próxima segunda-feira (18), o grupo começará as reuniões de trabalho para traçar o perfil da linha de microcrédito que será oferecida no Estado. O professor Latifee também terá uma audiência com o governador do Estado em exercício, Helenilson Pontes, na próxima semana.

Continue lendo...

quarta-feira, 13 de março de 2013

COHAB CAPACITA SOURE E PORTEL

A partir do dia 12 a Companhia de Habitação do Pará (Cohab) desenvolve a Ação do Plano Local de Habitação de Interesse Social (Plhis) 2013, que tem a finalidade de capacitar os municipios paraenses a elaborarem a Lei Municipal do Fundo Local de Interesse Social e também promover a regularização das prefeituras junto ao Sistema de Nacional de Habitação e Interesse Social do Ministério das Cidades. Hoje 22 municipios paraenses estão aptos a acessar os recursos disponivéis no Ministério para solucionar seus problemas de déficits habitacionais.
 No Pará, esse deficit é de mais de 284 mil unidades habitacionais, segundo dados levantados em 2008. Com esta capacitação, as prefeituras locais saberão como proceder para ter acesso aos recursos e como elaborar a Lei Municipal de Habitação. Existem várias regras para que os municípios tenham acesso aos recursos federais, a principal é a elaboração de uma lei municipal que cria o plano local de habitação e interesse social, o conselho gestor do fundo e o relatório de gestão.
 O diretor de politicas habitacionais da Cohab, Carlos Alberto Alcântara, explica que a ação que começa no dia 12 terá a participação de gestores e técnicos das prefeituras e representantes de movimentos sociais. “Nós vamos mostrar como proceder para que as prefeituras se integrem ao sistema, e para isso contaremos com o apoio de técnicos da Caixa Economica e da ONG Fase, que elaborou a metodologia da capacitação. Depois vamos acompanhar todo o processo, juntamente os municipios, até sua regularização junto ao Ministério das Cidades” explicou o diretor.
 A meta até o final de 2013 é capacitar 60 municipios paraenses. O projeto 'Minha Casa, Minha Vida' estima a construção de 40 mil unidades habitacionais no Estado, fruto de um investimento é de cerca de R$ 1,5 bilhão. Essa capacitação vai ser importante para que essas unidades se transformem em realidade.
 A PLHIS 2013 vai acontecer no auditório da Escola de Governo a partir do dia 12 de março, quando participam os municípios de Ananindeua, Belém, Colares, Igarapé-Miri e Irituia. No dia 13 é a vez de Mãe do Rio, Magalhães Barata, Nova Esperança do Piriá, Nova Timboteua e Paragominas. Dia 14 participam da ação os municípios de Portel, Santa Maria do Pará, Soure e Tracuateua. Nos dias 25 e 26 outro outro grupo vai ser reunir, ainda em Belém, e no mês de abril as ações acontecerão em Marabá, Altamira e Santarém.
Fonte: Agência Pará

OITO MUNICÍPIOS MARAJOARAS RECEBEM LANCHA DE PATRULHAMENTO FLUVIAL

O governador do Pará em exercício, Helenilson Pontes, entregou na tarde desta sexta-feira (8) dez embarcações para o trabalho de patrulha fluvial no interior do Estado. Oito lanchas voadeiras foram doadas para municípios da Região de Integração do Marajó e uma para o município de Igarapé-Miri. Uma embarcação de ação tática foi entregue para os municípios de Barcarena e Abaetetuba.
 Ao final da cerimônia – acompanhada por autoridades militares e civis do Estado e realizada na sede do grupamento fluvial da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Segup) – foi realizada pelo grupamento uma demonstração das ações de segurança realizadas com esses instrumentos, como abordagem a embarcações suspeitas e o chamado “choque ligeiro”, uma espécie de atendimento rápido a ocorrências como tumultos e rebeliões. “O choque é um tipo de pronto-emprego para situações emergenciais, até a chegada do policiamento especializado”, explicou o capitão Kleverton Firmino, comandante da Companhia Fluvial da Polícia Militar.
 Os municípios da região do Marajó contemplados com as lanchas são Cachoeira do Arari, Muaná, Curralinho, Portel, Anajás, São Sebastião da Boa Vista, Gurupá e Breves. O prefeito de Muaná, Murilo Guimarães, agradeceu pelos investimentos do governo do Estado na região, em especial na área de segurança pública. “Instrumentos como esses, que estão sendo entregues hoje, vão permitir que os agentes cheguem aos municípios com mais segurança e rapidez. Somados a isso, os esforços para a melhoria das delegacias e implantação de unidades do Pro Paz certamente trarão mais segurança para os nossos municípios, que ainda detêm os piores índices de desenvolvimento humano no Estado e que, portanto, merecem uma atenção especial do poder público estadual, como vemos que o governador Simão Jatene está fazendo”, ressaltou.

Continue lendo...

sexta-feira, 8 de março de 2013

VOLTAMOS!

Após 15 dias sem postagens o blog retorna com força total. Desde o lançamento em 2009 não passávamos tanto tempo sem atualizá-lo. O desafio profissional proposto ao editor tornou a administração do blog um pouco complicada, mas, a partir de hoje, após a conclusão de algumas demandas profissionais, voltamos a atualizar este importante espaço para a democratização no Marajó, diariamente.
Peço desculpas aos leitores assíduos e agradeço pelas cobranças feitas, só assim, visualizamos a importância  e credibilidade que este blog conquistou nos últimos cinco anos.
Seguimos fortes e atuantes..

Grande abraço
Flávio Costa - Editor

ASSOCIAÇÃO DE AGRICULTORAS GANHA CADA VEZ MAIS FORÇA EM PORTEL

Fundada em 2010, com o apoio do escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), a Associação de Mulheres Agroextrativistas da Ilha Grande do Pacajaí (Amaigp), a primeira organização social feminina do meio rural de Portel, no Marajó, acaba de reeleger a diretoria, mantendo a agricultora Marta Figueiredo como presidente.
A Associação representa 80 mulheres daquele assentamento federal, uma comunidade atendida pela Emater desde 2008 e ladeada pelos rios Anapu e Pacajá: ali, cerca de 1 mil e 200 famílias trabalham principalmente com açaí, farinha d’água, pesca artesanal e artesanato.
A cerimônia de posse, no dia 19 de fevereiro, reafirmou no município a trajetória de um movimento de fortalecimento de gênero e de busca por direitos, como acesso a educação, saúde e políticas públicas específicas.
“Podemos dizer que a Amaip simboliza a inauguração de uma luta política em defesa da mulher rural de Portel e no próprio Marajó. O meio ainda é machista e resistente: pouco a pouco, essas trabalhadoras vêm conquistando espaço, oportunidade, mercado e cidadania. A Emater tem promovido capacitações, para que elas diversifiquem as atividades e adquiram independência de mão-de-obra e trabalho, e orientado o aperfeiçoamento da estrutura administrativa e mobilizadora da Associação, inclusive no que tange a crédito rural”, diz o chefe do escritório local da Emater, o técnico em agropecuária e geógrafo Jocimar Mendonça.
Alguns dos esforços mais atuais da Amaigp vêm no sentido de firmar parcerias com Secretarias municipais: “Com a Secretaria de Saúde [Sesma], por exemplo, elas estão negociando treinamento e amparo para as parteiras; com a Secretaria de Trabalho e Ação Social [Semtras], cursos de corte-e-costura e estilização de roupas. A Emater atua não só para ajudá-las a produzir na terra e na água, com mais tecnologia e informação, com mais comercialização e qualidade; a Emater ajuda na constituição de outros benefícios, porque são todos direitos que se interligam: o sentido e o exercício de cidadania têm que ser completos”, explica.

Texto: Aline Miranda - Ascom/EMATER

EMATER INCENTIVA A DIVERSIFICAÇÃO DA PRODUÇÃO EM PORTEL

O trabalho da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) em Portel, no Marajó, está garantindo a diversificação da produção entre os agricultores familiares. Aqueles que um dia foram madeireiros, hoje plantam açaí e investem na piscicultura. Apenas um produtor, que em outubro passado povoou um tanque escavado com 15 mil alevinos, pretende durante a Semana Santa abastecer o mercado local com mais de nove toneladas de pescado, um rendimento que ultrapassará R$ 100 mil.
 O mercado de Portel, para o próximo feriado, será abastecido por espécies de tambaqui, tabatinga e tambacu. O produtor rural Juranir Pereira, mais conhecido como Nicolau, sozinho, despescará de seu único tanque, de 1500 m², cerca de 13 mil exemplares que, pesando cerca de 700 gramas, será vendido a R$ 12 cada. O projeto iniciou em outubro passado, data de liberação do custeio por parte do Banco da Amazônia, já visando o consumo certo naquela época festiva, sendo que o produtor tem até dois anos para pagar o financiamento.
 Segundo o chefe local de Portel, o técnico em agropecuária, Jocimar Mendonça, que tem acompanhado o projeto quase que semanalmente, o desenvolvimento do projeto está acima da média. “Estamos monitorando a engorda dos peixes, com uma alimentação adequada. Assim como o projeto do Nicolau, ainda estamos acompanhando outros quatro projetos”, destacou.
 Sobre a diversificação da produção, Mendonça ressalta que já existe um movimento entre os produtores na mudança das atividades rurais. Até pouco tempo atrás, a extração de madeira era a principal fonte de renda desta população. “O trabalho da Emater está justamente fazendo frente ao problema. Precisamos orientá-los e conscientizá-los. Sabemos que o assunto é delicado, mas estamos fazendo a nossa parte e estamos contando com o apoio dos agentes financeiros”, afirmou. O incentivo produtivo da Emater está voltado também para a produção de produtos agrícolas que possam ser facilmente adquiridos pela prefeitura para a alimentação do alunado portelense, por meio do Programa Nacional de Merenda Escolar (PNAE), como o milho, o arroz e a macaxeira.

Fonte: Kenny Teixeira (ASCOM)