sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

PIRATAS EM ALTA

As ações de piratas no Marajó vem crescendo assustadoramente. Em Joanes (Salvaterra) duas embarcações pesqueiras foram saqueadas no início da semana. Em Ponta de Pedras, uma embarcaçãode passageiros também recebeu a visita dos "ratos d'água" e ontem (16) o N/M Bom Jesus que faz linha regular pra Breves, foi atacado por piratas na saída de Belém. A polícia militar está intensificando o patrulhamento, mas ainda não é suficiente pra combater a prática.

2 comentários:

  1. Projeto do governo para inteligência na fronteira do país está atrasado
    Instalação de pelotões estava prevista para 2010, mas ficou para 2011.
    Para secretário, seria ‘irresponsável’ iniciar programa antes de finalizá-lo.
    O projeto de Policiamento Especializado na Fronteira (Pefron) prevê batalhões próprios e uso de equipamentos de última geração, como binóculos com câmera, aviões anfíbios e helicópteros tripulados e não-tripulados. É prevista a atuação de policiais civis, militares e peritos criminais, que serão treinados pela Polícia Federal e Força Nacional de Segurança.
    Antes tarde do que nunca. a Ilha do Marajó especificamente anseia por este programa.A primeira unidade do Pefron será no Estreito de Breves, na cidade de Breves (PA). De acordo com o governo do Pará, a base está pronta, mas, como será na beira do Rio, é preciso preparar o terreno antes da colocação dos contêineres para que a terra não ceda. A assessoria de imprensa informou que houve atraso nas licitações para compra de equipamentos, fabricados fora do Brasil. Disse ainda que há previsão de que, nos primeiros meses de 2011, os equipamentos vindos do governo federal comecem a chegar no estado. Dois helicópteros para monitoramento foram comprados pelo estado e devem ser usados no Pefron. Paulo Miranda

    ResponderExcluir
  2. sobre Relatório da Pedofilia. O pior capítulo do relatório está reservado ao levantamento feito pela CPI da Pedofilia na Ilha do Marajó. De acordo com o texto, o Marajó é considerado um “caso crítico”, já que as vias de acesso na região permitem que se tenha instalada ali o que eles consideram uma “rota de exploração sexual”, abrangendo, principalmente, os municípios de Portel, Muaná, Breves, Curralinho, São Sebastião da Boa Vista e Gurupá.

    ResponderExcluir