domingo, 24 de fevereiro de 2013

PREFEITO DE PORTEL PROPÕE CRIAÇÃO DE VARA AGRÁRIA NO MARAJÓ

O prefeito de Portel, Paulo Ferreira (foto), esteve reunido com a presidente do Tribunal de justiça do Estado, desembargadora Luzia Nadja Guimarães Nascimento, para propor a criação de uma Vara Agrária que atenda os municípios marajoaras.
Hoje, os conflitos agrários e outras ocorrências em terras marajoaras são encaminhados à Vara Agrária de Castanhal, o que dificulta o acompanhamento e a celeridade na solução dos problemas. Portel, por exemplo, tem extensão territorial de 25 mil Km² ( maior que o estado de Sergipe) e já registra sérias demandas. Paulo Ferreira pediu urgência na implantação da vara, pois, segundo ele, os problemas no campo marajoara aumentam a cada dia.
Apenas 5 varas agrárias funcionam hoje no estado: Castanhal, Redenção, Altamira, Santarém e Marabá
A Des. Nadja Nascimento informou ao prefeito que uma turma de 40 magistrados está se formando, e apenas após isso terá condições de discutir sobre o tema, mas, o TJE estudará a viabilidade da implantação da vara agrária no Marajó.
Paulo Ferreira também deve reunir com o Bispo do Marajó, Dom  Azcona, para que o mesmo ajude a cobrar do judiciário paraense a urgência na implantação da vara agrária do Marajó

Com informações de Idinor Ferreira


3 comentários:

  1. É Prefeito Paulo do imposto te cuida que agora o feitiço ta virando contra o feiticeiro, o bispo do marajó Dom Azcona vai te detonar, ou seja ja está te detonando e com 100% de razão onde ja se viu cobrar imposto de farinha e açaí dos mais humildes ribeirinhos, pense bem que você daqui a 04 anos vai querer se reeleger novamente...Portel hj está vivendo momentos que irá ficar na memoria de muitos portelenses.

    ResponderExcluir
  2. BOA NOITE FLÁVIO, ACABARAM AS RAPIDINHAS DE SSBV? TEM TANDO COISA ACONTECENDO, NÃO DORME NO PONTO.VAMOS ESTOOU AGUARDANDO

    ResponderExcluir
  3. Parabens Prefeito pela operação na área de Segurança.
    quanto aos impostos está corretissimo, mãos a obra e fará um grande Governo.

    ResponderExcluir