sábado, 12 de novembro de 2016

GURUPÁ: POLÍCIA INVESTIGA CRIMES COMETIDOS NAS REDES SOCIAIS

Equipamentos eletrônicos apreendidos.
A Polícia Civil instaurou inquérito policial para investigar denúncias de "cyberbullying", crime cometido por meio de redes sociais, no município de Gurupá, no arquipélago do Marajó no Pará. Moradores da cidade tiveram fotos pessoais usadas indevidamente em montagens, conhecidas como "memes", e divulgadas por meio de grupos de WhatsApp e em páginas no Facebook. Dois dois suspeitos de serem os autores das montagens foram conduzidos coercitivamente por ordem judicial para prestar depoimento, nesta sexta-feira, (11), na Delegacia do município. Com eles, foram apreendidos nove aparelhos de telefonia móvel, um tablet e sete dispositivos eletrônicos tipo pendrive, além de três computadores portáteis tipo notebook, e um monitor.
Os objetos apreendidos serão periciados para apurar se foram usados nas postagens. Segundo o delegado titular da Polícia Civil de Gurupá, Geraldo Pimenta, a investigação teve início depois que três mulheres, que moram na cidade, procuraram a Delegacia para fazer a denúncia do crime cometido por meio de redes sociais. Elas mostraram ao policial civil os "prints" das montagens postadas em que suas imagens, que estavam postadas em páginas pessoais no Facebook, foram usadas indevidamente em memes do tipo "expectativa x realidade", em que duas fotos eram postadas lado a lado para serem comparadas.
Em uma das fotos, em que estava a palavra "expectativa", foram usadas fotos de "belas mulheres " em propagandas de festas de música eletrônica, do tipo "rave", expostas na internet, e ao lado na montagem, foi usada uma foto em que as três moradoras da cidade aparecem em um evento ocorrido no município, com a palavra "realidade". Os memes foram compartilhados em redes sociais e em grupos de WhatsApp de moradores da cidade, até chegarem ao conhecimento das vítimas. "As montagens tinham como objetivo causar constrangimento às pessoas", relata o policial civil.
Ainda, de acordo com o delegado, com base nas investigações, os dois suspeitos foram identificados e tiveram os mandados de condução coercitiva expedidos pela Justiça de Gurupá para serem ouvidos no inquérito policial. Em depoimento, os suspeitos negaram a autoria das montagens, mas admitiram que receberam os memes em um grupo de WhatsApp e compartilharam as montagens em outros grupos. Após os depoimentos, os suspeitos foram liberados. Outras duas pessoas são investigadas sob suspeita de estarem envolvidas no crime virtual. A Polícia Civil alerta que é crime fazer montagens ou compartilhar imagens de pessoas de forma indevida nas redes sociais.

 (Com informações da PC)

Nenhum comentário:

Postar um comentário