terça-feira, 15 de novembro de 2016

PIRATAS ROUBAM E AGRIDEM RIBEIRINHOS

Quatro homens armados assaltaram uma família ribeirinha, na região das Ilhas de Belém
Meus pais mudaram de Belém em busca de um lugar tranquilo para viver”, conta a jornalista Josiele Soeiro, 28, em sinal de desabafo sobre o que aconteceu com os familiares na noite do último domingo (13). Os pais dela foram vítimas de 4 assaltantes armados, um seria menor de idade. Todos estão foragidos. O casal mora na Ilha do Maracujá, na região administrativa de Belém, uma localidade, até então, considerada amena por eles, mas que já não é mais tão calma como se pode imaginar.
 “Os assaltantes invadiram a casa, os machucaram, humilharam e assaltaram”, descreve Josiele que, somente ontem (14), pôde registrar o Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia Fluvial, que vai investigar o caso. Também na tarde de ontem, outra família ribeirinha procurou pela Polícia Fluvial para registrar que foi vítima de 4 assaltantes armados que invadiram a casa onde moram, na região das ilhas. A família teve seus pertences roubados e foi agredida, ou seja, dois crimes com as mesmas características e que já começa a assustar a população ribeirinha da capital paraense.
 O pai de Josiele tem 59 anos de idade, é feirante, e a mãe tem 57 anos. Os dois tiveram os nomes preservados, porque estão com medo de que os bandidos possam voltar e matá-los. A mãe nasceu na ilha e nunca havia passado por uma situação como esta. Abalada, quando ouve o ruído do motor de qualquer embarcação próximo de sua casa, entra em pânico.

 RELATO
 Os pais de Josiele já estavam dormindo quando, pouco depois das 23h30, acordaram com a ação brutal dos suspeitos que adentraram a casa derrubando a porta da frente. “Eles amarraram os meus pais, procuravam por dinheiro e armas, mas não temos isso em casa”, relatou Josiele. “Eles reviraram a casa toda, então começaram a agredir os meus pais”, acrescentou.
 Mesmo sem encontrar dinheiro e armas, os assaltantes roubaram os aparelhos de televisão e de som, roupas, tênis e também a lancha do casal – até então, o item de maior valor que foi roubado. “Um dos suspeitos ainda chegava a debochar, dizendo que nada ia pegar para ele, porque era menor de idade”, exclamou a jornalista.

 INVESTIGAÇÃO -
Na Delegacia de Polícia Fluvial, policiais civis que estavam de serviço confirmaram para a reportagem do DIÁRIO que a denúncia havia sido registrada e que as investigações já estão em andamento. - A polícia suspeita que o caso relatado pela jornalista Josiele Soeiro se trate de um grupo de piratas que começou a assaltar não somente embarcações, mas também ribeirinhos.

 (Denilson D’Almeida/Diário do Pará)

Nenhum comentário:

Postar um comentário