quarta-feira, 8 de agosto de 2012

REPRESENTANTES DE MUNICÍPIOS DEBATEM O CONTROLE DA MALÁRIA

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), por meio da Coordenação Estadual de Malária, iniciou nesta quarta-feira, 8, a “I Oficina de Avaliação do Programa de Controle da Malária no Estado do Pará” de 2012. A atividade conta com a participação de coordenadores municipais de endemias e demais representantes dos municípios considerados prioritários no combate à doença e também os que mais registram números de casos.
 De acordo com o coordenador estadual de Endemias, Bernardo Cardoso, a proposta da oficina é debater acertos e erros nas ações desenvolvidas em 2011, traçar metas para o restante de 2012, reavaliar as recomendações técnicas do Ministério da Saúde e as responsabilidades atribuídas ao governo estadual e aos municípios no tratamento da malária no Pará.
 Durante a apresentação da oficina, o secretário de Estado de Saúde, Helio Franco, ressaltou o esforço em prol do diagnóstico precoce e do que é preconizado pelo Ministério da Saúde. “Não existe ainda uma vacina contra a malária, mas devemos conscientizar a população a seguir o tratamento à risca, que dura sete dias, pois a interrupção pode provocar a recidiva da doença ou até o agravamento do quadro, além de manter o ciclo de transmissão ativo”, afirmou.
 Durante a atividade, os participantes têm a oportunidade de tirar dúvidas e trocar experiências. Além disso, recebem informações sobre a forma de transmissão, os sintomas mais comuns, os métodos de diagnóstico, o tratamento e as ações de prevenção. Para Bernardo Cardoso, o evento tem o potencial de produzir contribuições valorosas para as ações de controle da doença. “As oficinas têm o objetivo de incentivar o desenvolvimento de atividades de educação em saúde e mobilização social nos municípios para que a comunidade se envolva no controle da malária”, afirmou.
 Ao longo desta quarta-feira, 8, foram expostas as ações contra a malária desenvolvidas nos municípios de Breu Branco, Cachoeira do Piriá, Cumaru do Norte, Curuça, Goianésia do Pará, Ipixuna do Pará, Magalhães Barata, Marabá, Maracanã, Marapanim, Moju, Paragominas, São Caetano de Odivelas, Tucurui e Vizeu. Nesta quinta-feira, 9, será a vez de Afuá, Anajás, Bagre, Baião, Breves, Cametá, Chaves, Curralinho, Limoeiro do Ajuru, Melgaço, Mocajuba, Oeiras do Pará, Ponta de Pedras, Portel e São Sebastião da Boa Vista. 
 Participam das atividades a coordenadora nacional do Programa de Controle de Malária do Ministério da Saúde, Ana Carolina Santelli, e o diretor do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis (DEVIT) do Ministério da Saúde, Cláudio Henriques. Oficinas similares já foram realizadas em junho seste ano, em Santarém, para os representantes dos municípios prioritários da região de saúde do centro-oeste e oeste do Estado.

 Cenário estadual

 Os casos de malária no Pará vem apresentando queda. De janeiro a julho de 2011 foram registradas 71.893 ocorrências contra os 60.187 casos já confirmados no mesmo período deste ano. Segundo a Coordenação Estadual de Controle da Malária, houve redução dos casos nos municípios de São João do Araguaia, Mocajuba, Viseu, Cachoeira do Piriá e Melgaço. Entre os que apresentaram aumento estão Anajás, Jacareacanga e Altamira, com 1.381 casos.
 A coordenação atua em parceria com os municípios na prevenção, diagnóstico e capacitação de profissionais. As medidas mais indicadas para quem vive nas áreas de risco são a instalação de telas em portas e janelas, uso de mosquiteiros e atenção aos horários de maior atividade do mosquito transmissor da doença, evitando banhos de rio ao amanhecer e ao por do sol.

Continue lendo...

Fonte: Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário