sábado, 13 de abril de 2013

LUTANDO PELA SOBREVIVÊNCIA

O Cauã precisa de sua ajuda
Nestes 4 anos de blog nunca nos envolvemos com campanhas deste tipo, mas, agora não podemos nos abster do compromisso.
Ano passado (novembro) postamos aqui o desabafo (AQUI )do Evandro Dias, boavistense que hoje mora na Filipinas. Ele nos relata a peregrinação de seu irmão e cunhada para salvar a vida do pequeno Cauã.(foto)
É de indignar qualquer ser humano o desenrolar desta história.
Tudo começou em outubro de 2011 com a falta de assistência do Hospital Municipal de SSBV, o que ocasionou que a criança, pela demora no parto, nascer com falta de oxigenação no cérebro.
De lá pra cá as coisas só pioraram. Ana Paula, mãe do pequeno Cauã, recebeu pressão para se calar e aceitar a minguada e dispensável ajuda da administração municipal de SSBV.
Na última segunda (08), Cauã, que passa por sérios problemas de saúde desde o seu nascimento, teve o quadro de saúde agravado por conta de uma pneumonia.
Encaminhados para Belém, aconteceu por lá o que por muitas vezes denunciamos aqui: O abandono do paciente e acompanhante.
Peregrinando por diversos hospitais à procura de leito,  gastando seus últimos trocados com transporte, a família de Cauã pede ajuda.
Neste momento devemos deixar de lado questões politicas e ideológicos e ajudar esta família.
O BLOG pede encarecidamente ao prefeito Getúlio Brabo, ao vereador Delcimar Viana, ao secretário de assistência social, Neto Alves, ao ex-vereador Reinaldo Silva, aos empresários do município e à toda sociedade boavistense, que ajude esta família antes que o pior aconteça.

CONTATO: 9181-2680 (Ana Paula Reis, Mãe)


Um comentário:

  1. Flávio, aproveito esse espaço para lhe agradecer na repercusão deste caso.

    Foi através da sua ajuda e a molilização de outras pessoas que ficaram compadecidas com caso, que o Cauã conseguiu um leito no Hospital Barros Barreto. Desde ontem ja vem recebendo tratamento digno, que cada ser humano merece.

    Isso prova que ainda existe pessoas que tem amor ao próximo, quando veja atitudes com essa renovo as esperança de ver um mundo mas justo e igualitário para todos.

    Deve existir tantos outros casos parecido com o do Cauã, que não vem a público porque as pessoas não tem vez e nem voz, com medo preferem ficar no silêncio.

    Muito obrigado e saudações marajoaras!

    ResponderExcluir