sexta-feira, 23 de novembro de 2012

MENINA ESCALPELADA É RESGATADA NO MARAJÓ

Um helicóptero do Corpo de Bombeiros Militar do Pará resgatou, ontem, uma criança vítima de escalpamento no município de Breves, na ilha do Marajó. Viviane Benjó Alves, de 6 anos, teve parte do couro cabeludo arrancada e traumatismo craniano. A menina caiu de uma embarcação na última segunda-feira, quando viajava com a família. A criança chegou a receber atendimento no hospital de Breves, mas, devido à gravidade do caso, foi transferida para Belém.
 O helicóptero que trouxe a criança pousou no quartel do Comando Geral do Corpo de Bombeiros, localizado na esquina das avenidas Júlio César e Pedro Álvares Cabral, em Val-de-Cães. Uma ambulância dos bombeiros transportou a menina para o Hospital da Santa Casa do Pará. Mesmo em estado grave, a menina se manteve tranquila durante a viagem. "Ela está consciente e aparentemente calma, mas precisava de atendimento de imediato, por isso necessitou ser transferida para Belém. Aqui ela terá avaliação do neurologista", contou a médica Ângela Guimarães, que acompanhou o resgate.
 De acordo com a médica, a criança teve parte do couro cabeludo arrancada pelo eixo do motor do barco. "O impacto sofrido gerou uma fratura no crânio, por isso precisava ser transferida imediatamente. Devido ao traumatismo craniano, não tinha como transferir a criança de barco, pois a demora poderia afetar o quadro de saúde dela. Nossa maior preocupação era com o rebaixamento do nível de consciência dela durante a viagem, mas graças a Deus ela aguentou", completou Ângela Guimarães, que destacou a importância do transporte aéreo no atendimento de pacientes do interior do Estado. "De barco gastaríamos cerca de 12 horas, mas a paciente não podia esperar tanto. Com o helicóptero, fizemos o transporte em apenas 50 minutos".

 Resgates -
O resgate da menina foi o de número 695 desde setembro de 2007, quando o grupamento aéreo foi criado. "Com este atendimento de hoje (ontem) atingimos 695 resgates na aeronave desde a criação do atendimento aéreo. Desse total, 80% são pacientes vindos do Marajó", disse o major Alessandro Zell.

Um comentário:

  1. parabéns a essa equipe que realmente salva vidas, estou orgulhosa por ser marajoara e contar com o apoio dos bombeiros

    ResponderExcluir