quinta-feira, 22 de setembro de 2011

O ÚLTIMO GESTO...

Ninguém pode perder o que nunca quis ter.... Por tudo o que for...

ONDE MORA O SOL

Teu sinal na testa
revela o dia, a festa
O destino seu
Tudo aconteceu de ser assim...
Seu sorriso pra mim
A gargalhada fina do seu olhar
Nada é tão maior do que é divina
Uma menina assim pela calçada
Queira ou não queira
O seu caminho é como um lance livre de Jordan
Tem muita chance
Ao seu alcance são milhões de luzes e ordens
Para que avance
Melhor será seguir o coração...
Estou sozinho, mas você, não
Linda, lá onde mora o sol
O amor é tão normal
Linda, nem sabe onde estou
Rindo do que te dou
Só nos interessa o olhar que passa
Fresta da luz solar
Sempre a iluminar a madrugada
Se eu te espero, cresça
E apareça onde e como quiser
Quando então mulher
Que aconteça do amor levar
E então mais nada

(Lui Coimbra)

Nenhum comentário:

Postar um comentário