sábado, 2 de junho de 2012

PESQUISA APONTARÁ INDICADORES DE SAÚDE DA POPULAÇÃO DO MARAJÓ

A área da saúde é considerada prioridade na aplicação de recursos tanto pela população, quanto pelo poder público e o desenvolvimento de pesquisas científicas pode ser determinante para colaborar no controle e combate de diferentes doenças, que comprometem a qualidade de vida da população. Encontrar algumas dessas soluções é o trabalho do projeto “Marcadores Epidemiológicos em Saúde no Arquipélago do Marajó”, que propõe um trabalho multicêntrico, multidisciplinar e interinstitucional, que envolve dez grupos da Universidade Federal do Pará (UFPA), dois do Instituto Evandro Chagas e um do Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa), os quais visam atender uma chamada específica do Edital FAPESPA 023/2009 que objetiva conhecer melhor a situação epidemiológica, especificamente, na área da saúde, em quatro localidades do Arquipélago do Marajó.
“O projeto cobrirá 8 áreas temáticas e quase a totalidade dos objetivos descritos no Edital.
Está composto por 50 objetivos específicos que irão, no seu encerramento, propiciar apresentação de resultados que poderão ser utilizados para melhoria das condições de vida humana”. Defende o coordenado do projeto, o professor Dr. Ricardo Ishak.
Os municípios alvos do projeto são Chaves, Anajás, São Sebastião da Boa Vista e Portel e expandidos para larga extensão territorial do Marajó, como os municípios de Muaná, Curralinho, Breves e Melgaço. 
A proposta de trabalho será integrada por meio dos programas de pós graduação, “aos quais os doutores envolvidos estão associados, para que, de maneira multidisciplinar, as informações epidemiológicas geradas sejam agregadas por meio de trabalhos de conclusão (de graduação, dissertações e teses) que irão definir sugestões concretas para um novo modelo de desenvolvimento do Arquipélago” esclarece Ishak. Importância para a sociedade Questionado sobre a importância do desenvolvimento desta pesquisa para a sociedade, o coordenador do projeto afirma que tudo produzido para a CT&I é importante para a sociedade, principalmente, porque ela é a causa de tudo. “Tudo que a gente produz em CT&I, de uma maneira ou de outra, deve chegar à sociedade.
Esse é o objetivo e, no fundo, são os financiadores, de todos esses estudos. E o que a gente está tentando fazer é isso, desenvolver técnicas e diagnósticos mais rápidos, eficientes, sensíveis e específicos para a saúde do Marajó”, defende o Ricardo Ishak. PPSUS Marajó O edital visa realizar um Estudo Multicêntrico de Demografia e Saúde no Arquipélago do Marajó (EMDSAM), abrangendo os municípios de Anajás, São Sebastião da Boa Vista, Chaves e Portel, no âmbito do Programa Pesquisa para o SUS: Gestão Compartilhada em Saúde (PPSUS). O edital é uma realização do Governo do Estado do Pará, por intermédio da Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (Fapespa), da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e da Secretaria de Saúde do Estado do Pará (SESPA), em parceria com o Ministério da Saúde (MS) e com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).
O Governo do Estado do Pará procura induzir a edificação de um novo modelo de desenvolvimento, que se baseia no aproveitamento de potencialidades locais e no uso intensivo do capital social para a promoção de um desenvolvimento socialmente enraizado e sustentável. Uma das estratégias propostas pelo Governo para o alcance desse padrão de desenvolvimento é a consolidação do Sistema Paraense de Inovação (SIPI). Concebido como um mecanismo indutor do desenvolvimento econômico, que atinge a produção dos bens e serviços do sistema produtivo regional, o SIPI busca integrar e ampliar as iniciativas de ensino e pesquisa, para implantar um sistema regional de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I), com a ampla participação dos agentes públicos e privados.
João Ramos - Ascom Fapespa

Fonte: Portal Marajó

Nenhum comentário:

Postar um comentário